Cef79ae7 9a59 4b22 9006 b666d42f9c31 Edmilson Gomes cruzou o país para ver o acesso do Leão (Foto: Bruno Ribeiro)

Definitivamente, se o torcedor não existisse, teria que ser inventado. Imagine só um cidadão cruzar o país para acompanhar de perto o jogo do acesso do clube do coração sem contar à "patroa" e avisando de última hora ao chefe, que ainda por cima é torcedor do time rival.

Definitivamente, se o torcedor não existisse, teria que ser inventado. Imagine só um cidadão cruzar o país para acompanhar de perto o jogo do acesso do clube do coração sem contar à "patroa" e avisando de última hora ao chefe, que ainda por cima é torcedor do time rival.

– Na segunda-feira decidi vir sem comunicar à minha família e nem ao próprio chefe. Na sexta, falei com o chefe, que é Ceará, que estava com passagem marcada para Juiz de Fora: "Chefe, tenho que ir embora ver o Leão jogar". A minha esposa só soube que eu tinha viajado pelas postagens minhas no Facebook – disse bem-humorado.

Militar da reserva, o aposentado atualmente trabalha em regime pró-labore. Aliviado com o acesso do Tricolor após oito temporadas na Série C, Edmilson viu o sucesso do time como obra divina.

– Em oito anos nós sofremos muito. Sou sócio-torcedor do Fortaleza, sempre acredito no time. Mas Deus escreve certo por linhas tortas, esse não é um dos melhores times do Fortaleza, mas é o primeiro a conseguir a vitória no mata-mata – encerrou.