C31eebd4 3156 4018 892c 7567d298cd5b

Na política brasileira, o mais comum é se dedicar a eleições a cada dois anos. Mas o deputado estadual Carlos Roberto Osorio (PSDB), derrotado na disputa pela prefeitura em 2016, decidiu mergulhar de cabeça na disputa pela presidência do Vasco em novembro. Não como candidato, mas como articulador nos bastidores.

Osorio compareceu ao lançamento da chapa de Julio Brant, na última quinta. Brant já havia recebido apoio em 2014 do então secretário estadual de Transportes, à época alinhado com o governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Hoje opositor na Alerj, Osorio também quer uma mudança na situação do Vasco. Ele chegou a ir à posse do atual presidente Eurico Miranda e se colocar à disposição para ajudar no clube, mas agora insiste na necessidade de "arejar as práticas políticas" do Vasco. E aposta que o caminho para isso é um só: unificar as quatro chapas de oposição a Eurico. Além de Brant, o vice-geral licenciado Fernando Horta, o presidente do Conselho Fiscal Otto de Carvalho e o ex-médico do clube Alexandre Campello também lançaram candidatura.

- Me envolvi pessoalmente na união das oposições. Essa deveria ser a meta principal de quem quer o bem do Vasco - diz Osorio. - Estou fazendo meu papel como vascaíno e sócio. Acho que posso colaborar nesse processo. Tenho bom relacionamento com todas as chapas.

Segundo o deputado, um grupo de três grandes beneméritos - o advogado José Carlos Osório, seu tio, e os empresários Olavo Monteiro de Carvalho e Jorge Salgado - tentam alinhar o método para escolher o "cabeça" da chapa única de oposição. Brant sugeriu uma pesquisa com sócios do Vasco, enquanto Campello deseja a realização de prévias. Osorio deseja ter uma definição até a primeira quinzena de outubro. As eleições estão marcadas para 7 de novembro.

Até lá, existe a possibilidade de que Eurico nem fique no poder. O Ministério Público pediu o afastamento provisório da atual diretoria. O Juizado do Torcedor deu dez dias úteis para defesa. Como Eurico só recebeu a intimação no dia 20, o prazo corre até a próxima quarta, 4 de outubro.

- Meu desejo é que o Eurico saia do Vasco por vontade dos vascaínos nas eleições. Não me cabe comentar a ação do MP, até porque não conheço detalhes. Mas acho que todos os vascaínos preferem uma solução interna - avalia Osorio.