Df8f9394 52a1 44f1 b3a9 c7b3eec646ca Wanderlei Silva surpreendeu e revelou torcida por Conor McGregor contra Floyd Mayweather (Foto: Evelyn Rodrigues)

Wanderlei Silva enfrenta Chael Sonnen na luta principal do Bellator 180, marcado para este sábado no Madison Square Garden, em Nova York. Com 49 lutas em sua carreira no MMA, sendo 35 vitórias, 12 derrotas, um empate e uma luta sem resultado, o "Cachorro Louco" surpreendeu ao dar o seu palpite sobre o tão falado duelo de boxe entre o multicampeão Floyd Mayweather e o campeão peso-leve do UFC, Conor McGregor. Para Wand, apesar de não ter nenhuma experiência no boxe profissional, o irlandês tem grandes chances de levar o combate e é o favorito nos dois primeiros rounds

- O McGregor tem 28 anos, o Mayweather tem 40, bobo o McGregor não é, porque ele tem aquela versatilidade. O boxe do MMA é diferente do boxe puro, ele vai entrar sem respeito nenhum. E se ele me acerta aquela “bochada” que ele acertou no Aldo? O cara vai se tornar o maior lutador da história! Eu estou torcendo pro McGregor, porque ele é do MMA, espero que ele ganhe e que ele mostre que o MMA é tão bom quanto o boxe e na área deles. É uma luta interessantíssima e, para mim, nos dois primeiros rounds o Conor é favoritíssimo. O Mayweather se defende muito bem e boxe é boxe, a luva é grande. E a responsabilidade é toda do Mayweather. Então o Conor é mais jovem, não tem peso nenhum de responsabilidade, tem a mão tão pesada quanto… Não sei não, eu acho que o McGregor leva essa luta - declarou em entrevista exclusiva ao Combate.com.

Wanderlei, que vai enfrentar um dos maiores falastrões do esporte neste sábado, elogiou a capacidade de Conor de se autopromover. Para ele, o "Notório" está elevando o MMA a outro patamar e isso deve ser motivo de inspiração para os demais lutadores:

- Eu achei essa luta super interessante. Achei realmente um golaço pros dois. Pode falar o que for, eu não gostava do Conor McGregor, porque ele tinha provocado muito o José Aldo e eu adoro o Aldo, mas nós temos que tirar o chapéu para ele, porque ele está fazendo realmente um lutador dos nossos chegar numa cifra que nunca havia chegado antes. Por que é que eu não pensei nisso antes, né? Quando eu estava com 30 lutas invicto, eu poderia ter desafiado o Mayweather da época! Então fica a dica: se você quer o cinturão, desafie outro campeão, a gente tem que atirar para cima, não para baixo. A gente tem que copiar o que os outros fazem bem feito - finalizou.