8445ed9b 7a56 4c3d aa29 0dfaafa27259

Preso desde a última quinta-feira sob a suspeita de compra de votos para o Rio de Janeiro ser escolhido como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, Carlos Arthur Nuzman enviou uma carta - confeccionada dentro da prisão - à cúpula do Comitê Olímpico do Brasil (COB) solicitando seu afastamento.

Em seu site oficial, o COB convocou, neste sábado, a Assembleia Geral Extraordinária. A reunião ocorrerá na quarta-feira, na sede da entidade no Rio de Janeiro. Os representantes das confederações esportivas discutirão a punição do Comitê Olímpico Internacional (COI) ao COB, congelando a verba repassada à entidade brasileira, além da carta de Nuzman.

Em seu site oficial, o COB convocou, neste sábado, a Assembleia Geral Extraordinária. A reunião ocorrerá na quarta-feira, na sede da entidade no Rio de Janeiro. Os representantes das confederações esportivas discutirão a punição do Comitê Olímpico Internacional (COI) ao COB, congelando a verba repassada à entidade brasileira, além da carta de Nuzman.

Existe a possibilidade de o afastamento do atual presidente culminar em uma renúncia. Desde o dia da prisão de Nuzman, o COB está sob o comando de Paulo Wanderley Teixeira. O COI exigiu que o COB afastasse Carlos Arthur de suas funções, mesmo sua prisão sendo temporária (por cinco dias).