27e501af 55be 4e0d 998d f32836c13f40 Meia foi vaiado por parte da torcida no último jogo do Santos (Foto: Alê Cabral/Agif/Estadão Conteúdo)

Lucas Lima sabe o que vai ganhar se decidir fechar com o Palmeiras. As partes envolvidas negam qualquer acordo até o momento, mas o GloboEsporte.com apurou que o clube já sinalizou verbalmente ao estafe do jogador os valores e o tempo do contrato que pretende oferecer.

Além de um vínculo de cinco anos, padrão firmado nas contratações mais caras do Palmeiras recentemente (como as de Borja e Deyverson), o meia teria direito a auxílio moradia e uma fatia menor do salário condicionada à produtividade: cada jogo realizado aumentaria o valor a receber. A maior parte dos vencimentos mensais seria fixa.

O fato de o vínculo do meia com o Santos terminar em dezembro deste ano permite que ele assine um pré-contrato com outro clube. Há quem diga , aliás, que já esteja assinado, o que é negado veementemente pelo Palmeiras e pelo estafe de Lucas Lima.

Para tanto, de acordo com o artigo 25 do regulamento nacional de transferências, seria necessário uma prévia "notificação escrita do clube pretendente que está em negociação com o atleta ao seu atual empregador". A multa para quem não cumpre a exigência, no entanto, é pequena no contexto de grandes negociações: R$ 50 mil.

Financeiramente, o próprio clube reconhece nos bastidores, o Palmeiras é seu destino mais provável caso ele permaneça no Brasil. O principal motivo é ter mais condições do que o Santos de pagar os valores desejados – a oferta santista de renovação está na mesa há meses sem resposta. Somam-se a isso o atrativo de um time forte e a ótima relação entre o diretor Alexandre Mattos e o pai de Neymar, responsável por gerir a carreira do santista.

Há, porém, cautela para tratar a situação, pois Lucas Lima é titular de um rival, que ainda disputa o título brasileiro com o Corinthians ou que, no mínimo, tem justamente o Palmeiras como um concorrente por vaga na próxima edição da Libertadores.

Momento no Santos

Lucas Lima frequentemente provocou o Palmeiras nas redes sociais nos últimos anos. Até por isso, chamou atenção o fato de ele não ter se manifestado na vitória por 1 a 0, na arena do Palmeiras, no fim de setembro, quando foi desfalque.

No empate com o Vitória, na segunda-feira, ele foi vaiado por parte da torcida no Pacaembu. Por conta da especulação sobre sua possível saída, a pressão tende a aumentar nas dez partidas finais da competição, justamente o que as pessoas próximas a ele tentam evitar. Apesar disso, o Santos vê sua permanência como improvável e já procura substitutos no mercado.

Os direitos econômicos do meia estão divididos entre Santos (10%), o agente Edson Khodor (10%) e o grupo Doyen (80%). O acordo prevê garantias ao fundo de investimento independentemente se ele deixar a Vila Belmiro ou renovar o vínculo – o clube contesta e convocou entrevista coletiva para tratar do assunto na sexta-feira.