31948965 049b 41a7 aeff 1ca57c43e8de

A mudança no formato do Mineiro alegrou os clubes do interior, mas desagradou os times da capital. Entretanto, apesar de terem sido votos vencidos, Atlético-MG e Cruzeiro adotaram discursos em tons diferentes após a reunião do Arbitral do campeonato. Enquanto o Galo classificou a modificação como um “retrocesso”, a Raposa minimizou o fato, dizendo que a “democracia venceu”.

O questionamento principal dos clubes da capital é em relação às datas de disputa no Campeonato Mineiro. Para eles, aumentando-se o número de classificados ao mata-mata, o campeonato acaba perdendo força comercial e também na qualidade da disputa na primeira fase. Para os clubes do interior foi positiva a mudança, já que abriu espaço para mais equipes aparecerem nas fases decisivas.

Diretor de futebol do Atlético-MG, Domênico Bhering, acredita que o atual formato era bem avaliado por todos nos Brasil e deveria ter sido mantido.

- Cruzeiro, Atlético e América discordaram da fórmula que foi colocada em votação na assembleia, e os clubes da capital perderam. Eu acho que o futebol mineiro, hoje, é visto em relação à fórmula de disputa, por todo o Brasil, um futebol que está avançado neste sentido. Todos buscam a fórmula do Campeonato Mineiro para conseguir ajustar os estaduais. Acho que, neste sentido, foi um retrocesso.

O futuro vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, expôs a preocupação da questão comercial do Campeonato Mineiro. Mas, no fim, aceitou a modificação no formato.

- Na verdade, ganhou o Campeonato Mineiro, porque ganhou a democracia, e a democracia foi respeitada. Foi uma discussão em alto nível. A gente entende o lado dos clubes do interior. Na questão de datas, a gente não pode abrir muito, porque o Cruzeiro tem Libertadores, tem Copa do Brasil. Então, no modo geral, as equipes saíram satisfeitas. Cruzeiro, Atlético e América foram votos vencidos na questão de classificar oito. Porque, comercialmente, campeonato de 12 equipes e classificar oito é ruim. Mas eu entendo que, quando a maioria quer, é democracia. É votação, então a lei tem que ser cumprida. Para o Cruzeiro, se o interior estiver satisfeito, o Cruzeiro está satisfeito. A gente tem que atender a todos, dentro do que foi discutido. Para o Cruzeiro, a gente deixaria a fórmula anterior, porque comercialmente é melhor, mas a gente sabe que os clubes do interior, se juntarem, prevalece eles a soma total.

Alberto Simão, dirigente do Villa Nova, clube que encabeçou a campanha pela mudança no formato, disse que, no formato que vinha sendo utilizado, apenas os clubes da capital ganhavam.

- Não necessariamente foi o Villa Nova, mas o futebol do interior. Aqui não tem pai da criança, o que acontece é que temos uma formula maravilhosa em Minas Gerais, mas maravilhosa para Cruzeiro, Atlético e América. Basicamente, por esta distorção financeira no Campeonato Mineiro, eles já entram praticamente assegurados em uma semifinal. Então você briga por uma vaga só na semifinal. O interior entendeu que, unidos, nós vamos melhorar as coisas no futebol mineiro. Vai ser agora? Não. Mas entendemos que juntos, comungando as mesmas ideias, seria um pontapé inicial. Nós começamos a mudar a história do futebol mineiro.

O atual presidente da Federação Mineira de Futebol, Castellar Guimarães Neto, avaliou a mudança no formato, como também uma vitória da maioria.

- Gosto de colocar em votação sempre até o que será votado. Venceu a democracia. Foi uma vontade que partiu dos clubes do interior, mas que não necessariamente haja uma bipolarização entre clubes do interior e da capital. Venceu a maioria que entende que, a partir do ano que vem, devemos fazer jogos de quartas de final, com partidas únicas, inclusive com decisão nos pênaltis, entenderam os clubes que era uma fórmula mais atrativa. A Federação recebe com muita alegria a decisão, porque é da maioria e que, por si só, é que representa a melhor e a maior vontade dos clubes.

Gostando-se ou não, o Campeonato Mineiro terá um novo formato nos próximos dois anos. A competição começa no dia 17 de janeiro e termina em oito de abril, com oito classificados às quartas de final e dois rebaixados. Participam da competição: : América-MG, Atlético-MG, Boa Esporte (vice-campeão do Módulo II do Mineiro) Caldense, Cruzeiro, Democrata-GV, Patrocinense (campeão do Módulo II), Tombense, Tupi-MG, Uberlândia, URT e Villa Nova.