618db4b4 4239 4bb2 8981 78022e3f8b5b Tinga, gerente de futebol do clube, negou o recebimento de mala branca (Foto: Divulgação/Cruzeiro)

O gerente de futebol do Cruzeiro, Tinga, fez um pronunciamento, nesta quinta-feira, em Belo Horizonte, no qual negou o recebimento de um incentivo financeiro para dificultar o jogo contra o Palmeiras, na segunda-feira passada, no Allianz Parque, pela 31.ª rodada do Brasileirão.

A suposta "mala branca" de R$ 500 mil teria sido oferecida por pessoas ligadas ao Corinthians - líder do campeonato e interessado no tropeço do Palmeiras, que ocupa a vice-liderança da competição - e seria dividida entre os atletas após o empate em 2 a 2 com a equipe alviverde paulista.

Tinga, ex-jogador cruzeirense e com passagem de grande sucesso pelo Internacional, enfatizou o profissionalismo dos jogadores, da comissão técnica do clube celeste e qualificou a denúncia como uma invenção.

"As pessoas ficaram desapontadas porque acharam que neste jogo, contra o Palmeiras, o Cruzeiro poderia somente 'passear' e, como isso não aconteceu - e nunca acontecerá -, porque jogamos para ganhar, tentam inventar assuntos como esse da 'mala branca' ou de qualquer cor", frisou o executivo cruzeirense.

Sem revelar se o Cruzeiro tomará medidas judiciais em relação ao episódio, Tinga cobrou responsabilidade da imprensa na cobertura esportiva e ressaltou que a suspeita incomodou o elenco.

"Penso que estamos tentando evoluir cada vez mais no futebol e não podemos alimentar pequenas coisas. O Cruzeiro jamais jogou por isso, até porque esses atletas foram campeões e todos por aqui nunca dependeram disso, de colocar uma questão de dinheiro na frente do sonho deles que era de ser campeão e fazer história no clube. Peço que vocês não alimentem essa inverdade. Garanto que aqui só temos profissionais de grande competência e que se incomodaram bastante com isso", finalizou Tinga.

O meia Thiago Neves postou em sua conta no Twitter, nesta quinta um texto no qual refuta qualquer o recebimento da suposta "mala branca" e reitera a qualidade do grupo cruzeirense para superar qualquer adversário no Campeonato Brasileiro.

"Não precisamos de mala branca pra ter motivação para ganhar os jogos, independente da situação de qualquer time no campeonato. Vamos sempre entrar para ganhar porque o nosso time é bom e tem condições de ganhar de qualquer um. Não recebemos nada e, como falei, não precisamos disso. Então, parem de querer colocar coisas aqui dentro do Cruzeiro", escreveu o jogador.

Corinthians também nega

Em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, o diretor financeiro do Corinthians, Emerson Piovezan, também negou a 'mala branca' e lembrou que o clube nem tem fluxo de caixa para tal pagamento.

"Isso nunca aconteceu, nós nunca imaginamos fazer isso. Porque o Cruzeiro é uma grande equipe, os jogadores são altamente profissionais. O Mano Menezes é uma pessoa de alto respeito por parte do Corinthians. Nem passou pela nossa cabeça. Até porque o nosso fluxo de caixa nem permite pensar esse tipo de coisa", afirmou.