45635912 9029 4387 a485 d8f027431f26 Kazim marcou gol importante contra o Avaí, na reta final do Brasileiro (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O inglês/turco Kazim viveu um ano de altos e baixos no Corinthians, saindo de titular e figura importante no primeiro Derby para terminar com um gol decisivo na conquista do Campeonato Brasileiro. Apesar dos bons início e término, porém, ele foi bastante criticado pelos números ruins (apenas três gols até o momento) e a más atuações nas poucas chances que teve. Nada disso, no entanto, atrapalha o seu bom humor.

“Meu trabalho é só jogar futebol e cuidar dos meus companheiros. Feliz pelo Jô porque ele está muito focado, treina muito e dentro de campo faz muitos gols”, comentou o jogador, que não quer saber se o Alvinegro trará algum reserva para o camisa 7 em 2018 nem se ele ficará no Parque São Jorge. Para ele, o momento é de desfrutar os títulos conquistados no ano.

“Não penso isso agora. Quero só comemorar esse campeonato. Depois, em janeiro, na pré-temporada… Agora tem que respeitar o Atlético-MG e Sport porque eles trabalham forte também. Depois é férias, vou enjoy (curtir, em inglês) esse momento (risos)”, disse o europeu, que quase ficou para trás ainda em janeiro, quando o clube queria trazer o marfinense Didier Drogba.

“Quando o Corinthians tentou contratar o Drogba, foi problema para mim também. Jô faz muitos gols, então todos esquecem do Drogba. Futebol não é assim, não precisa gastar muito dinheiro, precisa de um bom grupo, focado nos objetivos”, continuou Kazim, exaltando a superação corintiana.

“Todos achavam que nós não éramos um bom time no começo do ano, só nós acreditávamos. A vida é assim, não só o futebol”, concluiu o camisa 18, que deve ganhar pelo menos mais uma chance até o encerramento da competição, contra o Sport, no dia 3 de dezembro, na Ilha do Retiro.