350dce4f 0723 4bfd 8170 3a95f03e607f Robinho foi condenado a 9 anos de prisão na Itália (Foto: Bruno Cantini/CAM)

O atacante do Atlético Mineiro, Robinho, foi condenado a 9 anos de prisão sob suspeita de cometer crime de violência sexual. O delito teria sido cometido quando o brasileiro ainda defendia o Milan, em 2013, e envolve também outros cinco homens. As informações vêm de diversos veículos de comunicação da Itália.

O caso, contra uma jovem de origem albanesa, teria ocorrido em uma boate da cidade italiana. Questionado sobre o assunto, o atacante afirmou que só se pronunciará por meio de seus advogados.

A advogada Dra. Marisa Alija, advogada e representante de Robinho, emitiu um comunicado falando sobre a condenação do atacante na justiça da Itália.

“Sobre o assunto envolvendo o atacante Robinho, é um fato ocorrido há alguns anos, esclareço que meu cliente já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio. Todas as providências legais já estão sendo tomadas acerca desta decisão em primeira instância”, declarou.

A denúncia do escândalo veio em 2014, ano que marcou o início das investigações do caso, onde tanto a vítima quanto o atacante foram ouvidos. O Ministério Público chegou a pedir a prisão de Robinho, mas o pedido foi negado judicialmente.

Na época, o jogador emitiu um comunicado oficial sobre as acusações. Confira o relato na íntegra:

“Diante das informações envolvendo o jogador de futebol Robson de Souza (Robinho), noticiadas irresponsavelmente hoje nos meios de comunicações da Itália, e replicadas no Brasil sem qualquer apuração quanto à sua veracidade, Robinho afirma que não tem qualquer participação no episódio mencionado. Todas as providências legais já estão sendo tomadas.

Robinho lamenta o episódio, que é levantado sem qualquer fundamento, justamente em um período que atravessa uma boa fase profissional, pessoal e familiar.

Em relação ao caso de Londres, fato não apurado profundamente pela imprensa e lembrado agora de forma oportunista, Robinho informa que foi acusado de forma leviana e mentirosa; sendo que, após investigação policial (concluída), foi comprovada a sua inocência, e, em contrapartida, a autora da falsa acusação foi denunciada pela polícia londrina e responde processo pelo crime de falsa acusação e calúnia.

Robinho afirma que, apesar de revoltado, está muito bem amparado pela família e em Deus. Ele agradece a todos que torcem por ele, que conhecem sua índole, e, portanto, sabem que jamais cometeria tal ato”