1c616235 e626 4080 b7a7 e93143e86285

Mesmo tendo vendido três jogadores em junho, o São Paulo corre o risco de perder mais atletas para o exterior. Com a janela de transferências aberta no dia 1º, o clube deve receber em breve propostas por Cueva e Rodrigo Caio. Embora afirme que não houve nada oficial até o momento, a diretoria já sabe como lidar diante do assédio europeu.

Nesta quinta-feira, durante o período de treino liberado à imprensa, no CCT da Barra Funda, o diretor-executivo de futebol Vinicius Pinotti disse rapidamente que não recebeu proposta alguma por nenhum dos jogadores.

A diretoria tricolor espera vender Rodrigo Caio, valorizado desde sempre no clube, somente pelo valor da multa rescisória, que é de 18 milhões de euros (cerca de R$ 68 milhões). Mais recentemente, o Zenit, da Rússia, sondou a situação do camisa 3.

No entanto, mesmo que topem depositar esse valor na conta do São Paulo, os russos não têm a garantia de que o zagueiro aceite o negócio. Isso porque Rodrigo Caio, que renovou contrato até 2021 e ganhou um aumento salarial, tem como grande objetivo disputar a Copa do Mundo de 2018. Para isso, terá que se manter titular em uma equipe que esteja no alcance de Tite. Além disso, o jogador de 23 anos dá preferência a mercados mais valorizados, como o espanhol e o italiano.

Já Cueva tem mais chances de ser negociado. Embora o discurso oficial diga o contrário, há pessoas do clube que já consideram a hipótese de vendê-lo. Um empresário, representando um time da Turquia, havia prometido levar uma proposta ao Morumbi. Até agora, ela não chegou, entretanto.

Destaque no início da temporada, o camisa 10, que também renovou até 2021, caiu acentuadamente de rendimento, após se lesionar defendendo o Peru nas Eliminatórias Sul-Americanas, em março. Desde então, não marcou mais gols, nem contribuiu com assistências.

Nos treinos de quarta e quinta-feira, o técnico interino Pintado conversou bastante com o peruano, que pode até deixar o time titular no clássico contra o Santos, domingo, na Vila Belmiro.

Neste ano, o São Paulo já vendeu cinco jogadores do elenco profissional. No primeiro semestre, deixaram o clube David Neres (Ajax-HOL) e Lyanco (Torino-ITA). Em junho, foi a vez de Maicon (Galatasaray-TUR), e Luiz Araújo e Thiago Mendes (Lille-FRA) serem negociados.

Nesta quinta-feira, o volante Petros, que fez o caminho inverso ao trocar o Betis-ESP pelo São Paulo, falou em entrevista coletiva acerca das consequências de o clube perder muitos jogadores ao longo da temporada.

“Eu vou na raiz do problema. Enquanto a temporada brasileira não estiver mais próxima da europeia, o Brasil vai sofrer. O poder aquisitivo deles é muito maior. O São Paulo está sofrendo por isso, consegue vender muito bem, tem a base muito forte, não tem como competir financeiramente. Infelizmente, neste momento, é a equipe mais prejudicada por conta da janela”, lamentou o volante.