E82d9967 7e35 46ea b3f8 0004aa6df289

O vôlei de praia brasileiro vive uma fase de novas apostas para o ciclo olímpico de Tóquio-2020. Entre elas, a capixaba Elize Maia, de 33 anos, quer aproveitar a virada de ano para dar um passo significativo rumo ao seu objetivo.

Ela e a parceira Taiana embarcam no dia 1 de janeiro para Haia (HOL), onde disputarão, entre 3 e 7, a etapa de abertura do Circuito Mundial, em Haia, na Holanda. A dupla entrou diretamente na fase de grupos com base no ranking da competição, assim como Ágatha/Duda e Bárbara Seixas/Fernanda Berti. As festas de fim de ano ficaram de lado.

– Vou virar o ano fazendo mala. Iremos viajar estourando a champanhe – brincou Ellize, ao LANCE!.

Descoberta para a modalidade a partir de um projeto de talentos da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), a atleta vem buscando se firmar. Nos últimos anos, atuou ao lado de Fernanda Berti, Duda e Rebecca, antes de resgatar a união antiga com Taiana, umas das primeiras jogadoras com quem ela dividiu a quadra.

Ao mesmo tempo, Maia é agenciada pela Ford Models, que tem uma pasta voltada à atletas modelos. Ela já exercia a profissão antes de se dedicar ao esporte e não a abandonou. Até levou Taiana para conhecè-la. 

– Eu a chamei este ano para um ensaio, mas para mim é algo natural. Inicei com 15 anos, fiquei cinco anos praticamente viajando a trabalho pelo mundo e conhecendo países. Hoje, sou modelo, mas o foco principal é ser atleta – disse a capixaba.

O Japão é um destino marcante para Elize. E poderá ser novamente em 2020. Foi lá que ela realizou os primeiros trabalhos de frente para as câmeras. Ainda passou períodos na China e nos Estados Unidos. 

– Conheci mais países como atleta, mas foi como modelo que convivi melhor com as pessoas. As temporadas são maiores – lembra.