Foto: Emerson Limma Ed7c5e3a 0835 44bb 916d 25a0456e9521 Estádio Rei Pelé

Vai começar a temporada 2018 do futebol alagoano e o foco está direcionado para as duas principais equipes do Estado. Depois de um ano de 2017 produtivo, com direito a título para os dois lados, CSA e CRB iniciam o ano com a disputa da Copa do Nordeste, mas com a rivalidade ampliada e pensando em vôos mais altos.

Este ano o CRB vai além de defender o título estadual e vai brigar parar chegar ao tetracampeonato, estreando diante do CEO no próximo domingo, bem como buscar uma boa campanha na Copa do Nordeste, destaque na Copa do Brasil diante do Dom Bosco do Mato Grosso e o sonhado acesso para a primeira divisão nacional.

A competição regional será o primeiro desafio pela frente. O “Galo” estreia na próxima terça-feira, diante do Treze na Paraíba, em jogo válido pela primeira rodada do Grupo A, que ainda tem Confiança de Sergipe e Santa Cruz de Pernambuco.

Foto: Dougllas Araújo-Ascom/CRB

 

Para buscar resultados positivos em todas as competições, o CRB, através da sua diretoria e comissão técnica, promoveram uma verdadeira reformulação no elenco. Jogadores experientes que vinham atuando pelo clube já anos, como o zagueiro Gabriel, o volante Audálio e o atacante Zé Carlos deixaram o grupo. Além deles, atletas que alternaram boas e más atuações, como o goleiro Edson Kohln e os meias Chico e Toni, deixaram a equipe.

O clube vai apostar em jogadores como os zagueiros Anderson Conceição e Edson Borges, o meia Rafael Bastos e os atacantes Marcão e Willians, novidades na equipe regatiana para a temporada 2018.

Foto: Thiago Davino

Quem comemorou a reformulação foi o técnico Mazola Junior. Se o assunto não era discutido abertamente, incomodava internamente os atletas que apresentavam problemas extra-campo no clube, mas o treinador prefere destacar a força do grupo para toda a temporada.

“Lógico que estaremos sempre avaliando o elenco, mas estou satisfeito com o trabalho feito pela diretoria. Um elenco muito forte foi montado, pensando em toda a temporada e não apenas no primeiro semestre”, afirmou Mazola.

CONFIRA O ELENCO DO CRB:

Goleiros: Jackson, Edson Marden, João Carlos e Cris

Zagueiros: Anderson Conceição, Edson Borges, Everton Sena, Flávio Boaventura, Renan e Rafa

Laterais: Ayrton, Diego e Manoel

Volantes: Erik, Gabriel, Juliano, Márcio Passos e Serginho

Meias: Claudinei, Edson Ratinho, Leílson, Pedrinho e Rafael Bastos

Atacantes: Dudu, Juninho Potiguar, Neto Baiano, Marcão, Ruan e Willians

 

Do lazo azul da capital o clima também é positivo. Isso porque, o CSA teve o melhor ano da sua história. Se no primeiro semestre o time não conquistou resultados expressivos, ficando com o vice-campeonato Alagoano e sendo eliminado na Copa do Nordeste na Copa do Brasil, a orça azulina apareceu na Série C. A equipe maruja cresceu na competição e conquistou um título nacional inédito, não apenas na sua história, mas para o futebol estadual.

Após conseguir o acesso para a Série B, a pressão cresce para que o time monte um elenco competitivo, num ano que será movimentado. O clube estreia na Copa do Nordeste na próxima quinta-feira na Copa do Nordeste contra o Sampaio Corrêa no Rei Pelé, no Alagoano enfrenta o Santa Rita fora de casa no domingo e na Copa do Brasil terá pela frente o Manaus do Amazonas, sem falar da segunda divisão nacional, que sempre oferece um nível alto para os participantes.

Foto: Ascom-CSA

 

Com uma temporada como há anos não se via, o CSA preferiu investir de forma consciente no seu elenco. A base da temporada 2017 foi mantida, com a “espinha dorsal” formada por Mota, Celsinho, Rafinha, Leandro Souza, Lobão, Dawhan, Boquita, Marcos Antônio, Didira, Daniel Costa, Samurai e Michel Douglas.

Se boa parte do grupo do ano passado segue, contratações também foram feitas para todas as posições, com destaque para o ataque, posição que agora conta com jogadores como o paraguaio Echeverria e Leandro Kível, ex-ASA e antigo desejo do clube do Mutange.

Para comandar esse time que buscará uma nova temporada vitoriosa, Flávio Araújo foi consciente ao avaliar os desafios. “A partir do momento que conquistamos um nível nacional, o nível aumenta, a cobrança é maior e nós precisamos trabalhar mais e conviver com as mudanças. Acredito que o time tem um potencial de crescimento muito grande. A temporada vai exigir e a gente precisa estar preparado”, afirmou o comandante marujo.

Foto: Levi Yuri/Ascom-CSA

 

CONFIRA O ELENCO DO CSA:

Goleiros: Mota, Cajuru e Dalton

Zagueiros: Leandro Souza, Rodrigo Lobão, Cristiano e Roger

Laterais: Celsinho, Talisson, Rafinha e Paulinho

Volantes: Dahwan, Boquita, Yuri, Da Silva, Mazinho, Léo, Marcos Antônio e Joilson

Meias: Didira, Caique e Daniel Costa

Atacantes: Echeverria, Juliano Levak, Giva, João Victor, Leandro Kivel, Maxuell Samurai e Michel Douglas

 

RIVALIDADE AMPLIADA

 

CSA e CRB sempre ocuparam a posição de principais equipes, mas em alguns momentos foram ofuscados por rivais, com destaque para o ASA, grande campeão alagoano no início dos anos 2000, o Corinthians Alagoano campeão em 2004, o Coruripe campeão em 2006, 2007 e 2014 e o Murici campeão em 2010.

Mas este ano, ao que tudo indica, o título deve ficar mesmo com uma das equipes da capital. Diante do investimento feito pelo clube marujo e o rival alvirrubro e consequentemente as dificuldades enfrentadas pelos demais rivais, o cenário aponta para uma decisão em azul e vermelho.

Isso já aquece a rivalidade, que ficou ainda mais evidente após o título nacional do CSA, as provocações de um lado e as respostas do outro. Este ano, as duas equipes de Maceió irão se enfrentar não apenas no Alagoano, podem se enfrentar na Copa do Nordeste em caso de boas campanhas e terão encontro marcado no Brasileiro da Série B.

 

A POLÍTICA EM DESTAQUE

 

A política e o futebol há anos tem uma ligação direta. Nem sempre essa relação é positiva, mas no caso de CSA e CRB ela parece ter um papel de destaque, principalmente nesta temporada. No CRB, Marcos Barbosa está no cargo de presidente desde 2010, acumula o posto de deputado estadual e vem fazendo uma administração que apresenta mais pontos positivos, do que negativos. O ponto alto deste trabalho é a aquisição do Centro de Treinamento “Ninho do Galo”, em Roteiro, sem contar com os títulos estaduais e dois acessos para a Série B.

Foto: Douglas Araújo/Ascom-CSA

 

Por outro lado, o CSA viveu momentos instáveis, com mudanças no cargo de presidente, mas que atingiu a estabilidade após Rafael Tenório assumir o clube e ter como ponto alto o título Brasileiro da Série C em 2017. Conhecido por ser um empresário de sucesso em Alagoas, Tenório agora parte para o lado da política e será candidato ao senado.

Foto: Ascom-CSA

 

Se cargos políticos não garantem sucesso aos clubes, num ano de eleição como 2018, pode potencializar os esforços e investimentos.

Ao final do ano, a retrospectiva vai dizer quem teve melhor aproveitamento, em mais um capítulo dessa rivalidade centenária.