8f08a9ee 009a 4f12 bacf 0ceba33da6d3 Torcida do São Paulo protestou contra time e presidente Leco (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

A crise do São Paulo ganhou um novo capítulo no início da noite deste domingo. Após o empate diante do Fluminense, por 1 a 1, no Morumbi, a principal torcida organizada do clube, a Independente, se dirigiu ao portão principal do estádio para protestar contra o time e, principalmente, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Com o som dos batuques de fundo, os “organizados” bradavam palavras de ordem contra o mandatário. “Ei, Leco! Vai tomar no c…”. Havia ainda três faixas com dizeres ofensivos à atual gestão: “Leco, venda a sua honra. Respeita a nossa história”, “2 anos lutando para não cair” e “Pior presidente da história”.

A primeira faixa se referia à política de vendas de Leco, que negociou neste ano David Neres, Lyanco, Luiz Araújo e Maicon com a Europa. Já a segunda atacou a campanha do Campeonato Brasileiro de 2016, em que o Tricolor chegou a brigar contra o rebaixamento durante a maior parte do torneio, algo que está se repetindo no começo da edição 2017.

Com o resultado, o São Paulo caiu para o 16º lugar, com apenas 11 pontos, flertando perigosamente com a zona do rebaixamento. Situação que ficou insustentável para as dezenas de torcedores que protestaram na frente do Morumbi, na Praça Roberto Gomes Pedrosa, pedindo por um elenco melhor: “Não é mole, não! Eu tô cansado de time amarelão” e “Oh, oh, oh, queremos jogador”, entoaram.

Em entrevista coletiva, o técnico Rogério Ceni mostrou-se compreensivo em relação ao protesto. “Torcedor paga ingresso para ver o time vencer. Futebol é muito impulsivo, imediatista. Sai frustrado do estádio. Talvez, amanhã, não pense isso. Mas o torcedor é o principal patrimônio e temos que trazê-los para o nosso lado. É natural que saia frustrado, são dois jogos sem vencer aqui, e fica chateado, saindo mais um domingo desgostoso, começando mais uma semana sem o time ganhar. Temos de entender a forma de expressão do torcedor”, disse.

Quando o ônibus com os jogadores deixou o estádio, os torcedores já haviam se dispersado, entretanto. Ainda mais pressionado, o São Paulo terá a semana inteira para se preparar para o confronto com o Flamengo, no próximo domingo, às 16 horas (de Brasília), no Rio de Janeiro, onde buscará a reabilitação.