Aaf4ed91 c18e 47ca aa33 bd25b43f3160 Jorge Rodrigues/Agência Eleven / Gazeta Press

O técnico Abel Braga está indignado com as últimas demissões de treinadores no futebol brasileiro. Na entrevista coletiva realizada na noite desta terça-feira, Abel deixou de lado o clássico entre Fluminense x Botafogo para condenar o comportamento dos clubes brasileiros. Nove treinadores da série A já foram dispensados após 12 rodadas.

Abel chegou a sugerir uma greve da categoria como uma forma de protestar contra a falta de respeito como os profissionais de futebol são tratados no Brasil.

"É preciso pressionar o governo, a sociedade, mostrar que o treinador de futebol é uma profissão. Você é demitido de um clube, não recebeu a rescisão e a CBF pede uma declaração ao clube sobre a mudança para que ele possa contratar outro", disse Abel.

Para o técnico do clube das Laranjeiras , esse processo só vai ser interrompido quando profissionais de prestígio como ele, Tite, Mano Menezes, Dorival Júnior decidirem agir para interromper essa forma de se tratar os técnicos no Brasil.

Abel citou especificamente as demissões de Vagner Mancini, da Chapecoense, e de Eduardo Baptista, do Atlético Paranaense.

"Enquanto a gente não reunir os pesos pesados para dar um basta, isso vai continuar acontecendo. O cara que contrata, diz que existe um projeto… é mentiroso. Manda embora dois meses depois. Que projeto é esse? É deprimente, vergonhoso. Isso tem que acabar. Sou apolítico, não me manifesto com política. Mas aí estamos falando da minha classe", acrescentou.

Abel disse que está preocupado com técnicos das séries C e D, por exemplo, que são demitidos e ninguém fica sabendo.

"Minha vida está estabilizada por causa dessa profissão. Mas quero que a rapaziada nova consiga também. Por isso é que a gente precisa parar. Se meus colegas estiverem também, estou dentro", finalizou o treinador.