064c3255 0f33 4a3c abd8 429a9ed845a6

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) concedeu ao Confiança efeito suspensivo à ação quetirou do clube seis pontos na Copa do Nordeste pela suposta escalação irregular no lateral Apodi contra o Treze, quando venceu por 2 a 1 na Arena Batistão.

Mesmo apresentando documentos da CBF e da secretaria do STJD comprovando que o atleta tinha condição de jogo, o clube foi condenado, perdeu os pontos (ficando com -2) e levou multa. Porém, recorreu da decisão e conseguiu recuperar os pontos conquistados.

Na decisão do efeito suspensivo, o auditor relator deu parecer favorável ao time sergipano: "Diante desses fatos, em especial por estar convencido da verossimilhança alegada e do prejuízo irreparável que poderá ocorrer, CONCEDO o efeito suspensivo à Associação Desportiva Confiança nos termos do Art. 147-A do CBJD".

Portanto, até o julgamento final do caso, o Confiança se mantém com quatro pontos e com boas chances de classificação para a segunda fase da Lampions League. Na próxima quinta-feira, os azulinos recebem o CRB na Arena Batistão, em partida válida pela penúltima rodada da primeira fase.

Entenda o caso
O Confiança perdeu seis pontos na Copa do Nordeste. A decisão por 3 a 2 da 3ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) foi motivada por escalação irregular do lateral Apodi, quando o Dragão venceu a partida contra o Treze por 2 a 1. Assim, o time ficou com -2 no grupo A. O clube também foi multado em mil reais.

O Confiança foi denunciado no Art. 214 do CBJD, que penaliza equipes por incluir ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta que não tenha condição legal de participar de partida.

Adriano Apodi foi expulso no jogo de despedida do Gurupi-TO pela Série D em 2017, contra o Atlético do Acre. Na súmula, o árbitro relatou que foi xingado pelo jogador após lhe dar o cartão vermelho. O caso foi a julgamento e Apodi levou um jogo de suspensão. Desde então não havia disputado competições nacionais.

Porém, o Confiança o escalou porque tinha em mãos documentos da CBF e do próprio STJD atestando que não havia nenhuma pendência com o jogador e ele tinha condição de jogo. Com base nisso, o atleta foi relacionado para a partida contra o Treze.