90040c73 db5e 414c b96b 8dd55aa60209

“Com a prática da atividade física eu sou uma pessoa mais disposta e feliz”. A afirmação é da aposentada Edite Nicolau dos Santos, de 86 anos, moradora do bairro João Paulo II e integrante de um dos 24  Grupos de Atividade Física mantidos pela Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, no Núcleo de Saúde da Família (NASF).

Há cinco anos a dona Edite entrou para o grupo, que se reúne duas vezes por semana, nos dias de terça e quinta-feira, às 6h, no ginásio da Escola Prof. Benildo Barbosa, na Primavera, para a prática da atividade física. Ela explica que sempre gostou de fazer caminhada, mas atribuiu o seu ânimo à nova rotina. Desde então, também faz aula de zumba e dança forró, às segundas-feiras, no projeto “Cultura na Praça”, no centro da cidade.

“Nos dias da atividade física eu acordo às 4h, já varro o meu quintal, cuido de umas coisas da casa, tomo banho e vou me encontrar com as amigas que fiz no grupo. Faço de tudo para não faltar”, afirmou. Animada, ela ainda conta que depois da prática regular da atividade física conseguiu manter o peso ideal, diminuir as dores musculares, melhorar a flexibilidade e controlar as taxas de colesterol e pressão arterial.

NASF-1

Michelly Karlla Brito, profissional de educação física responsável pelo grupo, comenta que atualmente participam cerca de 70 pessoas, pertencentes ao NASF-1, que cobre as áreas dos bairros Primavera e João Paulo II, a exemplo da dona Edite, que foi encaminhada para a prática pela Unidade Básica de Saúde (UBS). “O público, em sua maioria, é formado por hipertensos,  diabéticos e alguns diagnosticados com problemas de articulações e que receberam alta da fisioterapia”, destacou.

Quando perguntada sobre como manter um grupo desse porte, Michelly Karlla responde que, além dela existe uma equipe multidisciplinar que realiza um trabalho voltado para melhora da qualidade de vida da população assistida, a exemplo da nutricionista Célia Brito, que a acompanha nos dias da atividade.

Exercícios

Na sequência dos exercícios: alongamento; aquecimento com atividade de locomoção e localizada, que trabalha o fortalecimento e a força muscular. Além disso, duas vezes no mês é realizada aula de recreação, com atividades lúdicas, que lembram brincadeiras de infância. “Toda a programação é executada respeitando o limite de cada pessoa, buscando o equilíbrio entre corpo e mente”, destacou.

Além dos efeitos sobre o corpo, a exemplo da prevenção de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, a atividade física também atua na saúde mental, contribuindo para a redução do estresse, melhora de quadros de depressão, aumento da autoestima e da sensação de bem-estar.

A proposta do grupo também é aproximar os usuários dos serviços de saúde. Para isso, são organizados momentos de bate-papo sobre tema de promoção da saúde. Na última terça, o médico João Victor Macedo e a enfermeira Helaine Arruda falaram sobre a importância do autocuidado na prevenção de doenças para a qualidade de vida.