0ebc8a4c 2b46 4455 adba ab44f5168979

O Uruguai garantiu sua terceira participação consecutiva nas oitavas de final da Copa do Mundo – e levou consigo a seleção da Rússia, contra a qual os uruguaios disputarão o primeiro lugar do Grupo A às 11h da próxima segunda-feira (25). A classificação da equipe treinada por Óscar Tabárez veio com vitória por 1 a 0 contra a seleção da Arábia Saudita nesta quarta-feira (20), na Arena Rostov. O gol da partida foi marcado por Luis Suárez, em falha do goleiro saudita. 

O resultado deixa o Uruguai empatado com a Rússia na liderança do Grupo A, cada uma com seis pontos (sendo que os anfitriões da Copa ficam à frente por conta do saldo de gols), e elimina os sauditas e também o Egito de Mohamed Salah. A despedida dessas duas equipes no Mundial também será realizada às 11h de segunda-feira.

Nas oitavas de final, uruguaios e russos jogarão contra as seleções classificadas no Grupo B, que tem Portugal, Espanha e Irã disputando duas vagas. A equipe do Marrocos ficou fora da disputa devido à derrota por 1 a 0 sofrida nesta manhã contra os portugueses . 

O jogo

O técnico Óscar Tabárez tirou o cruzeirense De Arrascaeta da equipe titular e colocou em seu lugar Cristian Rodríguez, que havia ajudado a melhorar a criação do meio de campo uruguaio na estreia contra o Egito. Pelo lado saudita, o treinador Juan Antonio Pizzi barrou o goleiro Al Maiouf após os cinco gols sofridos contra a Rússia e mandou a campo Mohammed Al-Owais.

Mas a substituição dos árabes não deu nada certo. Aos 22 minutos do primeiro tempo, o goleiro saiu mal após cobrança de escanteio pelo lado esquerdo e deixou o gol escancarado para o atacante Luis Suárez apenas escorar para as redes. Com esse gol, o maior artilheiro da história da seleção uruguaia chegou ao seu 52º tento com a camisa celeste e se tornou o primeiro uruguaio a marcar em três edições diferentes da Copa do Mundo. 

O gol logo cedo, no entanto, não fez com que o Uruguai ganhasse o controle do jogo. Suárez e Cavani eram obrigados a vir buscar a bola muito atrás por conta da atuação apagada dos armadores da equipe.

A Arábia Saudita passou a primeira etapa tentando incomodar a equipe adversária, mas não conseguia concluir suas jogadas por conta de suas limitações técnicas. Aos 25 minutos, o atacante saudita Hatan conseguiu um bom chute de fora da área, mas o goleiro Muslera espalmou a escanteio. 

Quando os árabes começavam a crescer no jogo, o camisa 17 da equipe, Hasser, machucou-se e precisou ser substituído ainda na primeira etapa. A demora para o atendimento médico e a substituição quebrou o ritmo do jogo e nada mais aconteceu na primeira etapa. 

Na volta do intervalo, as duas equipes seguiram sem exibir a menor inspiração em campo. Suárez cobrou falta de média distância para defesa segura de Al-Owais aos 5 minutos e, a partir de então, os poucos lances de perigo se restringiram a participações de Cavani.

O atacante do PSG fez ótimo cruzamento para Carlos Sánchez aos 16 minutos, mas o meio-campista (muito mal na partida, diga-se) jogou por cima do gol mesmo estando já dentro da pequena área. Cavani voltou a aparecer mais duas vezes com perigo: primeiro em umdesvio de cabeça que saiu à esquerda do gol, e depois em arrancada em que saiu cara a cara com o goleiro Al-Owais, que conseguiu defender com o pé.

Os sauditas vez ou outra se lembravam que estavam sendo eliminados com a derrota e iam ao ataque tentar ameaçar o gol de Muslera, mas nada de muito importante aconteceu naquele último trecho do campo de defesa do Uruguai até o apito final.