292bab20 b6e2 4043 a337 81e94e11b6f9

A defesa iraniana mostrou-se à altura do desafio de encarar o poderoso ataque espanhol na tarde desta quarta-feira, na Arena de Kazan, na Rússia. Muito bem postada à frente da sua área, a equipe asiática segurou os badalados europeus até Diego Costa, em rebatida da defesa. Ainda houve um gol bem anulado e uma chance clara perdida pelos persas, que viram o placar terminar em 1 a 0 para a Fúria.

Com o resultado, Iniesta, Sérgio Ramos e companhia chegam a quatro pontos conquistados e dividem a liderança do Grupo B com Portugal, que derrotou Marrocos no primeiro jogo do dia. A diferença, atualmente, está nos cartões amarelos levados pelos portugueses (2 a 1), que dão a liderança para os espanhóis. Com três pontos, os iranianos têm chances reais de classificação às oitavas de final.

Na próxima rodada, a última da chave, os comandados de Carlos Queiroz encaram a equipe de Portugal, na Arena Mordóvia, em Saransk, às 15h (de Brasília) da segunda-feira. No mesmo horário, os espanhóis terão pela frente o já eliminado Marrocos, em Kaliningrado.

Espanha trabalha, Irã marca

O primeiro tempo da partida em Kazan mostrou uma Espanha disposta a apostar no seu toque de bola para movimentar a defesa iraniana e conseguir criar chances de gol. Munida do qualificado toque de bola de Iniesta, Isco e David Silva, a Fúria bem que tentou, trocou mais de 300 passes na etapa inicial, mas mal conseguiu que o goleiro Beiranvand realizasse uma defesa em suas tentativas.

Mais participativo, Isco deu trabalho com suas trocas de passes pela esquerda, mas a maioria dos lances foi travada na hora do cruzamento/chute. Em uma das poucas que passou pelo bloqueio iraniano, Beiravand mostrou frieza para agarrar uma falta cobrada por David Silva que desviou na barreira. Pouco antes, Ramin saiu livre pela direita em erro da linha de impedimento espanhola, mas demorou a acreditar e errou o cruzamento.

Com o placar inalterado, os espanhóis começaram a ficar irritados e reclamaram bastante dos diversos atendimentos médicos aos atletas asiáticos. No do goleiro Beiranvand, que reclamou de um toque de Diego Costa quando estava com a bola, os europeus nem sequer devolveram a bola aos iranianos. Nem isso, porém, foi o bastante para que o time conseguisse chegar perto de abrir o placar.

Diego Costa faz gol sem intenção

Logo na volta para o segundo tempo, os espanhóis mostraram em seis minutos que poderiam ameaçar mais a meta adversária mesmo com a defesa bem postada. O primeiro foi Piqué, que desviou com o pé cobrança de escanteio e parou na zaga. Na sobra, Busquets chutou de fora da área, o goleiro espalmou e afastou o perigo no rebote. A resposta veio com Karim, que pegou rebatida da defesa e chutou forte, na rede pelo lado de fora.