C5501bbf 26d2 44cf a09f c3b2820451fc

Eliminados pelo Uruguai nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2018, os jogadores portugueses voltam à sua programação normal de pré-temporada. Isso aflorou o andamento das negociações de Cristiano Ronaldo na Juventus, por 100 milhões de euros, conforme tem sido retratado pela imprensa internacional

Por outro lado, o acerto de Cristiano Ronaldo na Juventus causou uma revolta inusitada entre os funcionários da Fiat. Como alguns devem saber, a marca italiana é dona de 29,18% das operações da família Agnelli que, por sua vez, é detentora de 63,8% da Juventus. Quando as notícias de que a Juventus estaria disposta a pagar 30 milhões de euros anuais para Ronaldo começaram a surgir, funcionários da Fiat ficaram incomodados.

De acordo com o site Sport Mediaset, a Fiat até ofereceu o posto de embaixador da marca para CR7, além do salário considerado astronômico pelos trabalhadores da Fiat. “É uma desgraça”, diz Gerardo Giannone, funcionário de uma fábrica do Grupo FCA nas proximidades de Napoli. “Não ganhamos aumento há dez anos, e com o salário de Cristiano Ronaldo dividido entre todos os funcionários, teríamos 200 euros a mais por mês. A FCA gasta 126 milhões de euros por ano apenas com patrocínio, sendo que 26,5 milhões correspondem apenas à Juventus”.

Se a Juventus concretizar o negócio com o craque português, isso corresponderá ao investimento total de 220 milhões de euros a longo prazo, considerando patrocínio e luvas. Evidentemente, a transferência de Cristiano Ronaldo poderá ajudar a equipe italiana na empreitada de conquistar a UEFA Champions League mais uma vez. O último título veio na temporada de 1995/96. Desde então, duas finais sem vitórias, sendo que a última foi contra o Real Madrid de Cristiano Ronaldo, no ano passado.

De qualquer forma, o acordo de Cristiano Ronaldo na Juventus não caiu bem entre os funcionários da Fiat. Especialmente aos que já deram uma olhada na mansão superluxuosa de mil metros quadrados que o craque já teria alugado em Turim. Resta saber se ele venderá o Bugatti Chiron que comprou na Espanha para desfilar de Ferrari na Itália.