CSA 2707bbea 52e1 42d9 8c2f 14519254d103 Thiago Davino - Minuto Esportes

Foi sofrido, mas valeu a manutenção da vice-liderança da Série B. Na noite desta sexta-feira (03) no Estádio Rei Pelé, o CSA foi melhor durante todo o jogo, pressionou, levou sustos, mas o técnico Marcelo Cabo acertou nas substituições e viu Hugo Cabral sair do banco para dar a vitória por 1 a 0 sobre o Juventude.

O gol salvador aos 37 minutos levou o CSA aos 34 pontos, empatando com o Fortaleza, que ainda vai jogar neste sábado contra o Coritiba. O próximo confronto da equipe alagoana será em uma semana, fora de casa contra o Goiás.

O JOGO – 1º TEMPO

Como a ideia era vencer para seguir na cola do Fortaleza na briga pela liderança da Série B, o CSA começou o jogo e partiu para cima do Juventude. Na primeira investida no ataque o time alagoano conseguiu escanteio e depois da cobrança, Xandão testou forte e exigiu uma defesa espetacular do goleiro Douglas.

Depois do susto, o time gaúcho tentou se organizar, se fechou ainda mais na sua área e buscou manter a posse de bola. A ideia do time comandado por Juninho Camargo era atuar nos contra-golpes e era exatamente isso que fazia.

Fotos: Thiago Parmalat/RCortez/Ascom CSA

 

O CSA tinha maior volume de jogo e atacava, mas não conseguia finalizar. Assim, o Juventude encontrou espaço e por muito pouco não abre o placar. Da entrada da área, Guilherme Queiroz arriscou e parou numa defesa com as pontas dos dedos do goleiro Lucas Frigeri.

Apesar da tentativa da equipe visitante, o CSA seguiu melhor no jogo e até o final do primeiro tempo chegaria novamente. Taiberson até chegou a marcar, mas estava impedido. No último lance de perigo, Didira arriscou e o goleiro Douglas segurou mais uma.

Final do primeiro tempo no Rei Pelé, CSA 0 x 0 Juventude.

2º - TEMPO

No primeiro tempo o CSA teve em média, 70% da posse de bola e parecia que iria manter no segundo tempo. Isso porque, o time marujo seguia dominando as ações, tanto na troca de passes, quanto nas bolas alçadas na área, mas ainda sem efetividade.

A primeira chance do CSA só veio depois dos 10 minutos. Falta perigosa na entrada da área e o lateral Rafinha foi para a bola, batendo forte e exigindo mais uma grande defesa do goleiro Douglas, o nome do jogo até então.

Chegada a metade do segundo tempo, o jogo mostrava o CSA pressionando, subindo ao ataque de todas as formas e um Juventude fechado, acuado, mas esperando a oportunidade de contra-atacar. O jogo era tenso e perigoso para ambos os lados.

A partida entrou na reta final e o técnico Marcelo Cabo resolveu dar mais velocidade ao ataque azulino. Taiberson deixou o campo para entrada de Pingo e Hugo Cabral entrou na vaga de Juan.

E a estrela do técnico Marcelo Cabo brilhou mais uma vez. As substituições deram certo e quando o relógio marcava 37 minutos, depois de uma pressão incrível, Rafinha cruzou com perfeição na área e encontrou Hugo Cabral, que cabeceou e mandou para as redes. Festa no Rei Pelé.

Depois do gol o CSA buscou administrar e o Juventude atacar. Mas nada mudou e o CSA garantiu uma importante vitória no Estádio Rei Pelé. 1 a 0.