0775617d 33ee 4419 8021 ff4ccd379063 Mano Manezes dirigiu a Seleção Brasileira de julho de 2010 a dezembro de 2012 (Foto: Vinnicius Silva/CEC)

Gabriel Jesus, dono da camisa 9 na Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo, acabou decepcionando ao deixar o torneio sem marcar um único gol. À época, o técnico Tite precisou sair em defesa de seu centroavante, assim como Pep Guardiola, comandante da equipe inglesa, fez recentemente. Mas, foi Mano Menezes, nessa segunda-feira, que levantou a tese mais profunda sobre o principal motivo que pode ter contribuído para o ex-palmeirense ter passado pela Copa zerado.

“Tenho uma teoria que vai gerar uma certa polêmica”, se antecipou o treinador do Cruzeiro, em entrevista ao Sportv. “Eu não acho que o problema esteja no Gabriel Jesus, porque ele fez uma ótima Eliminatória. Na minha opinião, foi o grande surgimento de jogador dos últimos tempos, pós-Olimpíadas, com a chegada dele à Seleção Brasileira. Não tínhamos um jogador que preenchesse tanto a função como ele. Quando ele chegou, a Seleção passou a crescer, com a chegada do Tite também”, iniciou Mano, também ex-técnico da Seleção Brasileira.

“Acho que tem a ver com nosso protagonista maior, que é o Neymar. Ele centraliza muito as nossas ações ofensivas. Não tem como a bola não parar nele, porque é nosso principal jogador. A bola para nele muito mais do que nos outros, e Neymar não é um assistente de centroavante, não prepara a jogada, ele decide. Faz a jogada para ele, aí o centroavante sofre”, apontou Mano, lembrando da dificuldade que teve para encontrar uma forma mais adequada para a Seleção jogar conforme as características que tinha à disposição.