Ec366664 1ac8 449e af5c 71a093fd2de2 Pintado disse que agora vai seguir sua carreira como treinador (Foto: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)

O mal rendimento do São Paulo no Campeonato Brasileiro culminou com a demissão de dois ídolos do clube. Rogério Ceni deixou o cargo de técnico para chegada de Dorival Junior, e Pintado não é mais auxiliar técnico da equipe. O ex-volante, no entanto, garante que ainda vai voltar a trabalhar no clube do Morumbi, onde conquistou o Mundial de clubes como atleta e explica como seu deu sua saída e desmentiu os boatos de que sua saída foi pela chegada do novo treinador.

“O Dorival me conhece não é de hoje e me disse foi nunca partiu dele essa situação. Ao mesmo tempo que os resultados não eram bons, algumas mudanças iam acontecer. O que eu entendi foi que o São Paulo não quer mais trabalhar com uma comissão técnica fixa, e eu fui mais um que a diretoria entendeu que não ia mais ocupar esse posto. Entendo, fico chateado, mas vou seguir minha vida, e ainda vou voltar”, disse ele em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Pintado falou que não liga para as fofocas que surgem no meio do futebol, já que os boatos diziam que foi o próprio Dorival que pediu o desligamento do então auxiliar para poder trabalhar apenas com seus estafe de confiança.

“A gente entende como é o futebol, que tem esses papos furados, essas fofocas, que aparecem no momento ruim, mas eu não posso acreditar que isso partiu de dentro do São Paulo, porque isso não cabe pelo dia a dia, pelo convívio com as pessoas, mas o mais importante é que o São Paulo se recupere, porque a cada resultado ruim aparece um culpado. Minha consciência é tranquila e as pessoas me conhecem”, pontuou.

Agora Pintado voltará a retomar sua carreira de técnico, que deixou de lado para ser auxiliar no São Paulo. O ex-volante ainda frisou que ele não foi para o Tricolor por causa do dinheiro, ao contrário, como auxiliar passou a ganhar menos do que recebia como técnico, mesmo em equipes menores do futebol brasileiro.

“Eu acho que sempre me preparei para poder ser um treinador, sempre busquei me aprimorar, me aperfeiçoar, não sou ex-atleta que caiu de paraquedas só porque fui campeão no clube. Nunca quis chegar só pelo que fiz como atleta, sempre estudei bastante. Quando tive a possibilidade de voltar ao São Paulo, eu nem discuti salário. Ganhava menos como auxiliar no São Paulo do que como treinador em qualquer outro lugar. Nunca foi minha intenção voltar por dinheiro, eu fico a vontade em dizer que voltei sonhando em conquistar títulos, que a torcida fosse feliz, infelizmente nesse momento não posso mais sonhar com isso e vou voltar a minha realidade de procurar meu espaço como treinador”, completou.