Foto: Fábio Falconi/Unlimited Sports Bd013018 d83e 4e58 84ee e7470e5eb3da

Sol, chuva, frio, calor, muita disposição e disputa abrilhantaram ainda mais a primeira edição do IronMan 70.3 Alagoas, realizado neste domingo (06) em Maceió. Mais de mil atletas de 12 nacionalidades disputaram a competição, que teve dois brasileiros vencendo no masculino e feminino, além de alagoanos que conseguiram subir no pódio mais famoso do triathlon mundial.

Francisco Sartore, o Chiquinho, de Santos, no litoral paulista, e Vanessa Gianinni, de Campinas (SP), foram os mais rápidos após os 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21.1 km de corrida. Chiquinho completou a prova com o tempo de 4h05min53seg, enquanto Vanessa, ex-atleta profissional e que retornou às competições depois de dois anos, marcou 4h26min06seg. Com as conquistas, ambos garantiram vaga para o Mundial IronMan 70.3 2018, que será nos dias 1 e 2 de setembro, em Nelson Mandela Bay - África do Sul.

A primeira edição do IronMan 70.3 Alagoas, focada somente nos competidores da Faixa Etária, não poderia ter sido melhor. Além de reunir mil atletas de 12 países, representando os cinco continentes, o evento contou com o apoio da população, que desde cedo lotou a Praia de Pajuçara para acompanhar alguns dos melhores amadores do país e vários destaques do exterior. Em resposta, os triatletas fizeram uma prova bem disputada, fechando da melhor maneira possível um fim de semana com o maior evento de triatlo do mundo.

No masculino, o experiente Chiquinho fez bonito. O atleta foi um dos primeiros a sair da água e se manteve entre os líderes no ciclismo e corrida, garantindo o melhor tempo no masculino. “Estou muito feliz, pois foi uma ótima prova e a Unlimited Sports deu mais um show de organização. O percurso foi maravilhoso, não ventou e todo o povo da cidade apoiou e respeitou os atletas”, estão todos de parabéns.

Uma das principais triatletas do país nos útlimos anos, Vanessa Gianinni está de volta após duas temporadas afastada do esporte por motivo de contusão e pessoais. E ela quer voltar ao topo começando como amador, como fez no evento em Alagoas. Ela ganhou bem e sem dificuldades, e ainda assegurou a vaga para o Mundial 

“Dois anos fora de um 70.3 e acabei perdendo muito ritmo de prova. Vou tentar fazer tudo que puder no amador e depois de Kona, meu sonho, quem sabe,  verei se volto a ser profissional ou sigo aqui. Tudo vai depender da saúde”, explicou a campeã, que já garantiu presença no IRONMAN 70.3 Rio de Janeiro.

Com relação a etapa, ela gostou muito. “A prova Maceió é incrível e foi perfeita. A organização fez um excelente trabalho e, com certeza, estarei aqui de novo no ano que vem”, completou a atleta, que chegou com quase dez minutos de vantagem para a segunda colocada.

ALAGOANOS EM DESTAQUE

A prova também teve vários triatletas alagoanos subindo ao pódio em suas respectivas categorias e garantindo vaga no mundial 70.3 na África do Sul em 2018.

No feminino, Tatiana Fernandes terminou na quarta posição na categoria 30/34 anos e Andreia Teixeira que ficou em quinto lugar na categoria 50/54 anos do Iron.

No masculino, foram vários os destaques. Fellipe Lira ficou em quinto lugar na categoria 25/29 anos, Tuca Batista em oitavo na categoria 35/39 anos, mas de acordo com a rolagem da categoria, garantiu vaga no Mundial.

Fernando Andrade terminou na quarta posição na categoria 40/44 anos, marcando 4:25:05, o melhor tempo de um alagoano numa prova de IronMan 70.3. Na mesma categoria, Hélio Ribeiro terminou na quinta colocação. Ambos garantiram vaga.

Na categoria 45/49 anos, Fabiano Paes teve a melhor posição, ficando em terceiro, acompanhado por Carlos Falcão que terminou em quinto e os dois garantiram vaga no mundial. Marcos Peixoto também esteve entre os melhores da categoria.     

AVALIAÇÃO

Detentor da marca do IronMan no Brasil, Carlos Galvão enalteceu a primeira edição do evento em Maceió. “A gente já sabia do potencial de Alagoas para eventos da modalidade. Das belezas naturais, da receptividade e principalmente pela prática do triathlon no Estado, imaginávamos o sucesso. Ficamos muito felizes com o que vimos e logo estaremos de volta”, afirmou.

A secretária do Esporte, Lazer e Juventude, Claudia Petuba se mostrou mais que satisfeita com a realização do evento. “Alagoas tem mostrado todo o seu potencial para realizar grandes eventos. A chegada do IronMan reforça essa tese. Muito feliz por ver um evento dessa magnitude, com atletas e turistas de todo o Brasil e vários países. Aguardamos ansiosamente pelos próximos eventos”, completou.

Ao todo, cinco alagoanos garantiram vaga no Mundial IronMan 70.3 na África do Sul em 2018. Fabiano Paes, Carlos Falcão, Hélio Ribeiro, Tuca Batista e Fernando Andrade.

Resultados

 

Masculino 

  • 1) Francisco Sartore (BRA/M3539), 4:05:53
  • 2) Bonieck Clemente (BRA/M3034), 4:10:24
  • 3) Daniel Ruman Rodrigues (M2529), 4:10:58



 

Feminino

  • 1) Vanessa Gianinni (BRA/F3539),  4:26:06
  • 2) Luca Glaser  (BRA/F2529), 4:35:48
  • 3) Paula Ponte Moreira (BRA/F1824 ), 4:40:40

 

Resultado Geral: http://www.ironmanbrasil.com.br/2017/ala/br/resultado.php