Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Botafogo de Ribeirão de Preto iniciou na ensolarada manhã deste sábado os festejos de seu centenário. Completando um século de existência em 12 de outubro de 2018, o clube do interior paulista abriu as comemorações com homenagens a dois de seus maiores ídolos: os irmãos Sócrates e Raí.

Debaixo do típico sol escaldante de Ribeirão Preto, o Botafogo promoveu evento nesta manhã no terraço de um dos shoppings da cidade, onde dirigentes, autoridades, ex-jogadores e outros convidados foram agraciados com uma farta feijoada. Mas, o que sobrou na cerimônia foi emoção.

Com as comemorações, espera-se resgatar as origens do clube, a começar por uma reaproximação com o bairro no qual foi fundado, em 1918. “Do final do ano de 2017 até o dia 12 de outubro de 2018, muitas coisas ocorrerão, muitas festas, o clube pretende abrir as portas para seus torcedores, pretende através de sua função social, ir para os bairros. Vamos voltar para nossas raízes, vamos invadir a Vila Tibério”, bradou Rogério Bariza, organizador dos festejos.

A primeira homenagem a Sócrates, revelado pelo Pantera, se deu através de um vídeo exibido a uma plateia numerosa, que recordou grandes momentos em que ele vestia a camisa tricolor, com a qual marcou 101 gols em 269 jogos disputados, entre 1974 e 1978. Instante em que Dona Guiomar, mãe de Magrão e Raí, de 96 anos, se emocionou.

“O vídeo deixou minha mãe bastante emocionada. Esse vínculo do esporte com a nossa família, que o Botafogo nos proporcionou, é especial. Quero estar presente em outras manifestações desse centenário”, ressaltou Raí, após o evento, já trajado com a camisa do Botafogo, que havia acabado de ganhar.

Uma das comemorações previstas para os 100 anos do clube ribeirão-pretano é o Jogo das Estrelas, a ser protagonizado por nomes importantes na história da agremiação – a partida deve ocorrer em dezembro. Aos 52 anos, Raí disse que atuará ao menos “por uma meia-horinha”, já que “o joelho incha”.