Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Santos suspendeu o contrato com o atacante Nilmar neste sábado. O motivo é o afastamento do jogador para tratar depressão. O clube vai bancar os custos do acompanhamento médico e psicológico e pretende retomar o vínculo até que o atleta seja liberado para voltar a atuar.

Antes do diagnóstico, Nilmar apresentou sinais de grande estresse. Após o empate do Peixe com o Cruzeiro no Mineirão, ele chegou a ter paralisia facial e teve que ser socorrido no vestiário. Depois, voltou ao normal e chegou a treinar. 

A justificativa para sua ausência na lista de relacionados para encarar Barcelona de Guayaquil, na quarta, e Botafogo, neste sábado, foi conjuntivite. 

Os médicos acreditam que o período inativo de mais de um ano no Oriente Médio possa ter contribuído para os sintomas. Uma das causas da depressão é a falta da produção de serotonina, noradrenalina e dopamina, algumas substâncias produzidas pelo corpo durante a prática do futebol. 

Antes de assinar com o Santos, Nilmar passou por exames detalhados, já que tem histórico de lesões graves nos dois joelhos. 

Ele está inscrito pelo Peixe na Libertadores e a lista só poderá ser modificada se o Alvinegro chegar na semifinal. Ricardo Oliveira e Kayke são os únicos centroavantes à disposição de Levir Culpi. Rodrigão está emprestado até o fim do ano ao Bahia. 

Nilmar tem 33 anos, contrato válido até o fim de 2018 e entrou em dois jogos pelo Santos. 

Também neste sábado, o clube confirmou a informação e reiterou que vai ajudar o atleta com o que for necessário. Veja a nota oficial: 

"O Santos FC acatou a solicitação do atleta Nilmar para cumprir um afastamento temporário, sem ônus para o clube, para tratar de questões de saúde, com a anuência do Departamento Médico. A diretoria dará o apoio necessário para que sua reintegração ocorra o mais breve possível."