Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Antes que Cavani e Neymar protagonizassem um desentendimento por uma cobrança de pênalti na vitória do PSG sobre o Lyon, ambos se envolveram em outro lance polêmico. No início da segunda etapa, Daniel Alves pegou a bola para cobrar uma falta. O atacante uruguaio tentou tomar a bola do brasileiro, que não deixou. No final, o camisa 10 foi o responsável pela cobrança. Pareceu uma clara demonstração de defesa do lateral pelo compatriota (veja o vídeo acima). No entanto, Daniel Alves negou que tenha sido isso. E se esquivou da polêmica.

– Eu ia chutar (risos). Eu peguei a bola para chutar, porque já fiz alguns golzinhos (risos). Estava confiante ali. Acredito que isso é o de menos, o mais importante é que sempre a equipe esteja à frente de qualquer resultado individual. Acredito que, quando a gente tenha vontade, ver que o jogo esteja truncado, chame a responsabilidade para si. Eu, naquele momento, queria chamar a responsabilidade, mas depois o Ney tomou a bola de mim e acabou batendo. Eu já tinha batido a primeira e peguei para tentar chutar, mas infelizmente não pude – declarou Daniel Alves, ao SporTV.

Neste domingo, foi a segunda vez que Neymar pediu a Cavani para cobrar um pênalti no PSG. Nas duas vezes, o uruguaio se recusou e cobrou a penalidade. Contra o Lyon, o camisa 9 errou. Ele já havia marcado o primeiro gol do triunfo por 2 a 0 deste domingo. Daniel Alves não vê desavenças entre os dois atacantes. E acha que tudo será superado.

– Acredito que o jogo coletivo não tenha que haver um destaque mais que outro individual. Temos que somar todos para que a equipe siga crescendo, para que a equipe siga alcançando os objetivos, e acredito que todos somos muito inteligentes aqui para saber que o mais importante que qualquer resultado individual é o resultado coletivo porque praticamos um esporte coletivo – afirmou Daniel.

O volante Rabiot também não vê desentendimento entre Neymar e Cavani. Na zona mista após a partida, o jogador afirmou que o assunto foi conversado no vestiário e é algo comum em um elenco tão estrelado.

– Não teve problema. E o que aconteceu em campo eu não vi porque estava falando com técnico naquele momento. Mas isso acontece em todas as equipes também. O Cavani marcou (um gol), Neymar queria marcar e isso acontece. São jogadores que querem fazer gol e isso pode acontecer, mas são profissionais e foi tranquilo depois no vestiário. Eu acho que eles vão discutir e chegar a um acordo. Cada hora um, de maneira alternada – disse o francês.

Cavani chegou aos nove gols na temporada, enquanto Neymar permanece com cinco. Com a vitória sobre o Lyon, o PSG se manteve com 100% de aproveitamento e tem 18 pontos em seis jogos no Campeonato Francês. O Monaco é o segundo, com 15 pontos. Na próxima rodada, o Paris visita o Montpellier, no sábado, às 12h.