A grande polêmica do último fim de semana foi, sem dúvidas, o gol do atacante Jô na vitória do Corinthians sobre o Vasco por 1 a 0. Nesta terça-feira, em coletiva de imprensa na Argentina, onde o Timão enfrenta o Racing, o jogador resolveu falar e admitiu o toque no braço, mas ressaltou que não teve a intenção.

"Estou muito tranquilo. Sou uma pessoa só. Não tenho duas personalidades. Após o jogo, não tinha visto a imagem. Depois, chegando em casa, pude ver que a bola realmente pegou no braço, mas quero deixar claro que não quis trapacear, porque os 19 gols que eu fiz foram com puro suor. Não tive a intenção. Tocou na mão, mas não quis fazer a coisa errada. Tenho caráter", disse.

"Alguns acham que eu poderia ter assumido. Se eu tivesse convicção, falaria", afirmou ele, que não considera o seu lance parecido com o de Rodrigo Caio, pelo Paulistão. "Como eu achei fantástica a atitude dele, a grande maioria também queria ver isso, mas foram situações diferentes. Eu me atirei na bola".

O atacante corintiano ainda se disse a favor da utilização do árbitro de vídeo ainda nesta edição do Campeonato Brasileiro. "Será bom para todos. Sempre fui suspeito de falar contra a arbitragem porque não gosto. Tudo que for para ajudar é bem vindo", concluiu.

Surpresa negativa

O diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, lamentou o problema em torno do gol de Jô. Apesar de admitir que o lance foi polêmico, o dirigente considera um exagero o que estão fazendo com o atleta.

"Fico surpreso com uma repercussão tão grande por um fato que pode ter sido polêmico, sim, mas que envolve um jogador com um passado tranquilo. O Jô tem uma convivência fantástica, é um dos líderes do elenco", disse. "Demonizar um jogador como o Jô é uma dose de exagero, querendo que ele seja o salvador de todos os problemas éticos do futebol", complementou.

Adauto ainda citou outros lances da partida ao falar do fair play. "O Jô sofreu dois pênaltis e reclamou. Então, o jogador do Vasco tinha que chamar o árbitro e admitir?", indagou.

A favor

O gerente de futebol Alesandro Nunes, que também participou da coletiva de imprensa, aprova o uso de árbitro de vídeo. Na visão do ex-jogador, tudo que for benéfico para acabar com os problemas no futebol é válido.

"Vejo de forma positiva. Tudo que gerar polêmica e tomarem atitudes benéficas, a gente fica muito feliz. Espero que tenha um bom retorna, porque essa não será a primeira polêmica", ressaltou.