Zé Ricardo não esconde sua preferência por times ofensivos, mas sua primeira realização no Vasco foi trazer segurança à defesa. Desde a chegada do treinador, o Cruz-maltino se desacostumou a ver a bola encontrar o fundo de sua rede.

Em todo o campeonato, o Vasco sofreu 35 gols em 24 rodadas, o que dá uma média de 1,5 gol sofrido por jogo. É como se a equipe carioca fosse vazada a cada 135 minutos. Nas últimas três rodadas — duas com Zé Ricardo à beira do campo, e uma assistindo de camarote — a média é de 0,3 gol sofrido por jogo, cinco vezes menor do que o índice anterior.

Titular na zaga desde que Zé Ricardo chegou ao Vasco, Anderson Martins disse que o mérito pela evolução defensiva é de todo o time.

— Quem analisa futebol sabe que a parte defensiva depende de todos os jogadores. Todos estão colaborando e marcando — avaliou.

Segundo o lateral-esquerdo Ramon, a solidez defensiva é um dos pontos mais cobrados pelo novo comandante do Vasco.

— A chegada do Zé Ricardo traz um estilo diferente. Ele está primeiro ajeitando a nossa defesa — destacou.

Parte importante do sistema defensivo é o goleiro Martín Silva, titular absoluto na posição desde que chegou ao Vasco, em 2014. E a trajetória do uruguaio em São Januário não deve acabar tão cedo: de acordo com o “Globoesporte.com”, Martín acertou as bases para renovar seu contrato até 2020. Por questões burocráticas, o anúncio oficial deve ocorrer só depois do fim deste Brasileiro.

— O Martín é bom de grupo, todos adoram ele. É experiente, nos passa muita tranquilidade — elogiou Anderson Martins. — Sabemos que podemos contar com ele quando não conseguimos parar as jogadas do adversário.

Martín Silva é o jogador que mais atuou pelo Vasco nesta temporada, com 40 partidas. É possível, no entanto, que ele desfalque o Vasco contra o Avaí, no dia 11 de outubro, pela 27ª rodada do Brasileiro. Na véspera, ele defenderá a seleção do Uruguai na rodada derradeira das eliminatórias, contra a Bolívia, em Montevidéu.