Presidente da escola de samba Unidos da Tijuca, maior campeã do carnaval carioca na década, Horta vai atrás de um novo desafio: chegar ao mesmo posto no Vasco. Eleito vice-presidente geral do clube em 2014, rompeu com Eurico Miranda e se afastou da gestão. Agora, diz ser o único capaz de vencê-lo nas eleições de novembro.

Existem hoje quatro chapas de oposição. Há interesse em se unir com alguma?

Com todos. Estou aberto para se juntarem a mim. Podem achar que sou prepotente por conta do meu lema, “o único que pode tirar Eurico”, mas sou o único dentro desse quadro político. Se os candidatos realmente têm interesse na mudança, e não carregam vaidade no coração, eles precisam se juntar a mim.

O número de chapas é alto. É sinal de descontentamento com a atual gestão?

Também acho que é muito. Lógico que indica descontentamento. Até porque, se eu estivesse contente, não disputaria a eleição. Estive junto tentando ajudar, mas Eurico não quis minha ajuda.

Eurico te isolou da gestão?

Ele não queria compartilhar administração. Não sou papagaio de pirata. Me perguntam por que não reclamei antes A questão é que eu não podia abrir uma crise. Se eu saio, o negócio ia ficar pior.

Havia um acordo para que Eurico te apoiasse este ano?

Eu seria candidato em 2014, mas tinha situações particulares a resolver. Aí ele começou a me procurar.Evidentemente fiz algumas exigências. Ele me daria todas as vice-presidências. Eu não coloquei ninguém. Havia esse compromisso dele me apoiar na eleição deste ano, sim. Mas se eu visse que o Vasco estava bem, iria apoiá-lo. Quero ver o Vasco bem.

Onde a atual gestão errou?

Acho que um erro fundamental foi esse clima de guerra. Veja o que aconteceu no clássico contra o Flamengo. Eu aconselhei que aquele jogo não fosse em São Januário. O clima não estava legal.

Pretende mudar a relação com torcidas organizadas?

Sou contra organizada realizar eleição em São Januário. Se elas vierem com exigências, vou querer exigências para o Vasco. Meu tratamento será igual com todas.

O Ministério Público quer afastar a diretoria do Vasco pela relação com a Força Jovem. E o senhor é parte da diretoria. Te dá preocupação?

Nenhuma. Não vai ter ninguém de organizada dizendo que fez trato com o Horta. Também não acredito que tudo aconteceu por causa do Eurico. Deve haver outras coisas estranhas ali. Não vou entrar nesse mérito. Meu problema com o Eurico é sobre administração do clube.

O senhor tem algo de positivo a dizer sobre o Eurico?

Não quero entrar nesse lado pessoal. Acho que o Eurico já deu, passou. Agora ele tinha que fazer uma transição legal e ficar assistindo os jogos.