Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Bruno Henrigue foi expulso na derrota do Santos para o Barcelona (Foto: Ivan Storti/Santos )

A cusparada do atacante Bruno Henrique, do Santos, contra Damían Diaz, aos 43 minutos do segundo tempo, na partida de volta das quartas de final da Libertadores diante do Barcelona, do Equador, poderá render um bom gancho ao jogador.

O atacante, que pediu desculpas nesta quinta-feira, pode perder a primeira fase da Libertadores no ano que vem, caso o Peixe se classifique direto para esta etapa da competição sul-americana. Isso porque o Código Disciplinar da Conmebol, em seu artigo 10, prevê uma punição mínima de seis partidas ao jogador que cuspir em outro atleta em campo.

Em contato com o Portal da Band, o advogado especialista em direito esportivo e ex-auditor do STJD, Paulo Bracks, esclareceu que a punição serve para quaisquer jogos que o atacante disputar em competições promovidas pela Conmebol, incluindo a Copa Sul-Americana.

Atualmente, o time de Levir Culpi ocupa a terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com 41 pontos, e estaria classificado para a disputa da Libertadores em 2018, diretamente na fase de grupos.

Se o Santos disputar a pré-Libertadores, o atacante estaria fora dos dois primeiros jogos, cumprindo o gancho nas fases seguintes.