O debate entre candidatos à presidência do Vasco, realizado na Rádio Globo nesta sexta-feira, sinalizou que a união das chapas de oposição a Eurico Miranda está mais próxima. Alexandre Campello, Julio Brant e Antônio Miguel Fernandes admitiram as reuniões em andamento para uma fusão antes da eleição do dia 7, em São Januário.

Sem a presença dos candidatos Eurico Miranda, que tenta a reeleição, e Fernando Horta, da chapa "Mudança com Responsabilidade", que recusaram o convite para o debate, o clima amistoso entre os participantes ficou evidente. Os grupos Frente Vasco Livre, de Campello, e Sempre Vasco, de Brant, possuem conversas avançadas para uma junção.

- Sabemos que isso não está andando na velocidade que muitos vascaínos gostariam, mas não é fácil e não é questão de vaidade. Temos que estruturar isso bem. Mas acreditamos que muito em breve teremos uma união - afirmou Alexandre Campello.

O discurso foi reforçado por Julio Brant e Antônio Miguel Fernandes. Brant, segundo lugar na eleição passada, e Campello, chegaram a conversar com Fernando Horta a respeito de uma união, mas as tratativas não avançaram. Julio Brant, nas negociações com o mandachuva da Unidos da Tijuca, não abriu mão da presidência do clube, o que também é imprescindível para Horta. Já o grupo de Campello pediu metade das vice-presidências e das cadeiras no Conselho Deliberativo, o que foi considerado uma barganha alta demais pelo grupo do Horta.

No primeiro bloco de perguntas do debate, os candidatos responderam questões de jornalistas sobre o futuro de São Januário, o programa de sócio torcedor, a situação financeira do clube, os planos para o futebol e a possibilidade de união política. Depois, responderam perguntas de adversários sobre departamento médico, geração de novas receitas, planos para a construção de um centro de treinamento e relacionamento com empresários.