Foto: Reuters Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Provavelmente você já ouviu muitas histórias sobre Marta. Das dificuldades enfrentadas na infância em Dois Riachos (AL), ônibus que pegou para o Rio de Janeiro em busca do sonho de ser jogadora de futebol.

Pois é. Esse ônibus chegou a Zurique, depois de anos de dedicação à modalidade, Marta foi eleita cinco vezes consecutiva a Melhor Jogadora do Mundo pela FIFA. Mas confessa que a primeira vez, quando ficou em terceiro lugar, em 2004, foi bem especial.

– A primeira vez foi incrível, em 2004, quando fiquei em terceiro lugar. Eu não sabia se estava bem vestida, como me comportar. Eu via aquelas jogadoras e jogares históricos, ali do meu lado. Só que eu, muito tímida, nunca que ia pedir para tirar uma foto. Mas todas as vezes em que eu subi naquele palco foram emocionantes, as pernas tremem, você não sabe o que falar direito – lembra.

Sua inspiração todos conhecem: Dona Tereza, a mãe de Marta. Conheça um pouco da relação das duas, as histórias de Candinho, o cachorro da capitã da Seleção Brasileira e outras que ela já viveu até chegar à equipe nacional.