Thiago Davino - Minuto Esportes 14139983338115 CSA

Um jogo típico de Brasileiro da Série B, na tarde deste sábado (12) no Estádio Rei Pelé. O CSA que buscava as primeiras posições, recebeu o lanterna Boa Esporte, teve dificuldades na criação, tomou alguns sustos, mas venceu por 1 a 0 com gol de Didira e garantiu a permanência no G4 da competição nacional.

A vitória levou o CSA aos 12 pontos e colocou o time na terceira posição da competição. O time alagoano volta a jogar no próximo sábado, diante do Londrina no Paraná.

O JOGO – 1º TEMPO

Bola rolando no Estádio Rei Pelé e o torcedor que compareceu em bom número, assistia os primeiros minutos de muito estudo entre as equipes, mas de um Boa Esporte que lutava para sair da zona do rebaixamento e por isso atacava o CSA.

Torcida do CSA compareceu em grande número ao Rei Pelé (Foto: Thiago Davino)

 

A primeira jogada de perigo foi justamente do time mineiro. Douglas Bagio recebeu passe livre e ficou de frente para Cajuru, batendo e parando em defesa espetacular do goleiro azulino no “Trapichão”.

Passados os primeiros 20 minutos de jogo, o jogo mostrava um CSA que tinha maior posse de bola, mas ainda não havia encontrado o espaço necessário para chegar com perigo. Já o Boa Esporte, buscava explorar qualquer espaço do time alagoano.

O setor de criação do CSA não funcionava. Os volantes não conseguiam sair para o jogo como em outros jogos e Daniel Costa, bem marcado, não conseguia produzir. E assim foi o primeiro tempo, sem inspiração do time azulino e com alguns sustos por parte da equipe visitante.

2º - TEMPO

Na volta para o segundo tempo, o técnico Marcelo Cabo ez uma mudança ousada, tirando Daniel Costa e colocando Walter no jogo. Vale lembrar, o que o atacante vem entrando aos poucos no time, buscando adquirir uma melhor forma física.

Coincidência ou não, a mudança surtiu efeito e o CSA foi para o ataque e abriu o placar. Logo no primeiro minuto, Ferrugem aproveitou a saída de bola errada do Boa, recuperou e deu um belo passe para Didira, que dominou e tocou na saída do goleiro Fabrício.

Foto: Thiago Davino

 

Depois do gol, a festa tomou conta do Estádio Rei Pelé. A torcida maruja levantou um bandeirão gigante, que já havia subido no começo do jogo e passou e empurrar ainda mais a equipe da casa.

O CSA melhorou no segundo tempo. Walter chegou perto e Didira voltou a levar perigo, mandando até bola no travessão, mas o assistente já havia levantado a bandeirinha e assinalado impedimento do meia.

Na reta final do jogo, o clima ficou quente e o Boa Esporte sofreu uma baixa. Artur Jesus pisou em Niltinho e acabou expulso, complicando ainda mais a situação da equipe mineira. O CSA administrou o resultado e garantiu a importante vitória em casa por 1 a 0.