Fotos: Jamira Furlani/Avaí F.C. Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Avaí 0 x 0 CSA

O CSA segue com a sua surpreendente campanha no Campeonato Brasileiro da Série B, principalmente quando joga fora de casa. Na noite desta sexta-feira (27), o time marujo enfrentou o Avaí na Ressacada e num confronto direto do G4, administrou a pressão do adversário e conseguiu empatar em 0 a 0.

Com o empate o CSA chegou aos 31 pontos na vice-liderança e só perde a posição, caso o Figueirense vença o Paysandu em Belém. Depois de dois jogos fora de casa, o “Azulão do Mutange” volta para o Rei Pelé e enfrenta o Juventude na próxima sexta-feira.

O JOGO – 1º TEMPO

Quando a bola rolou na Ressacada, o Avaí partiu para cima do CSA, encurralando o time alagoano. Foram minutos de pressão, onde Rodrigão ficou na cara do gol e exigiu grande defesa de Lucas Frigeri, e até gol, que logo foi anulado por impedimento de André Moritz.

A pressão seguia e o gol parecia cada vez mais perto. Bola levantada na área do CSA, a defesa vacilou e Marquinhos Silva subiu sozinho e desviou de cabeça, mandando rente a baliza azulina.

Apesar da pressão, o CSA conseguiu sair ileso e até passou a sair mais para o jogo, administrando a posse de bola. O grande problema do time alagoano ainda era a criação e finalização de jogadas. A chance mais perigosa até então, foi justamente um gol de Leandro Souza, mas que foi invalidado por impedimento do defensor da equipe maruja.

Fotos: Jamira Furlani/Avaí F.C.

 

Nos minutos finais do primeiro tempo, o CSA quase abre o placar de forma inusitada. Daniel Costa recebeu na entrada da área e deu toque de calcanhar tentando buscar os atacantes azulinos, mas encontrou o zagueiro Betão, que tentou afastar e mandou para o alto, com a bola ganhando efeito e acertando o travessão do goleiro Aranha.

Apesar do jogo movimentado, o placar foi inalterado em Florianópolis. Avaí 0 x 0 CSA.

2º - TEMPO

O segundo tempo começou com o time do Avaí novamente buscando o gol, desde os primeiros minutos. O CSA por sua vez, que na primeira etapa conseguiu administrar a posse de bola, mostrava um comportamento parecido com o a partida diante do Atlético Goianiense, quando foi pressionado durante toda a etapa complementar.

Uma situação curiosa nos primeiros 10 minutos do primeiro tempo, foi a dificuldade que o Avaí teve com o árbitro Elmo Resende. Em duas chegadas promissoras do time da casa, o “dono do apito” acabou atrapalhando as jogadas.

O CSA por sua vez, até por conta da pressão, tinha uma postura defensiva e não conseguia sair para o ataque e criar chances de gol. Uma das poucas no segundo tempo, veio com Yuri que dominou e na hora de bater cruzado, pegou torno na bola e não ofereceu perigo.

Fotos: Jamira Furlani/Avaí F.C.

 

Com dificuldade para chegar na área azulina, o Avaí resolveu arriscar de fora da área. Primeiro com Rodrigão e depois com o seu substituto, Beltrán, que pararam em boas defesas do goleiro azulino, Lucas Frigeri.

O 0 a 0 no placar persistia e o árbitro apontou quatro minutos de acréscimo. O Avaí foi para cima, pressionou já de forma desorganizada e não conseguiu furar o bloqueio do CSA. Final de jogo na Ressacada, com um empate sem gols.