1331220327correios Técnico está de olho em quem atua no futebol brasileiro (foto: divulgação/Botafogo)

Tite esteve no Engenhão na noite desta segunda-feira para acompanhar a vitória do Botafogo sobre o Sport, por 2 a 1. Sem expor muito as suas observações sobre quem estava em campo, o técnico abordou os seus planos para a sequência do trabalho da Seleção Brasileira.

“Tenho que ser coerente com as minhas atitudes, com o que falo. Não dá para fechar as portas da Seleção para um Gabriel Jesus que possa surgir ou para um atleta que possa retomar um alto nível de desempenho”, disse Tite, abordando as suas futuras convocações.

Os próximos compromissos do Brasil pelas Eliminatórias serão contra o Equador, em 31 de agosto, na Arena do Grêmio, e a Colômbia, em 5 de setembro, como visitante. Como os jogadores que atuam na Europa estão em pré-temporada, é possível que mais atletas do futebol brasileiro ganhem espaço com Tite – os goleiros Cássio, do Corinthians, e Vanderlei, do Santos, estão em pauta.

“Existe a retomada dos Europeus, mas estamos no melhor da nossa condição aqui. A chance de convocação de brasileiros é maior”, admitiu o treinador, embora reconheça a disparidade do futebol local para o europeu. “O nível que se tem lá fora, principalmente na Inglaterra, é muito alto. É uma realidade que se tem em função do poderio econômico.”

Tite esteve na Europa recentemente, mas na Rússia, para acompanhar a Copa das Confederações. Lá, o técnico ficou animado com o que viu em Sochi, cidade que provavelmente abrigará a Seleção Brasileira durante o Mundial de 2018.

“A gente quer um bom local para desenvolver o trabalho, com privacidade e logística. Sochi agradou, até pela proximidade da concentração com o espaço de treinamento. Não precisa de ônibus para deslocamento. Isso tudo potencializa”, contou, satisfeito ainda com as condições climáticas do município russo. “Você acorda de manhã e já sente vontade de ir ao trabalho”, afirmou.