3c2050fa 8d02 4e01 a65e a1653859712e Clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro terminou empatado - Pedro Souza / Atlético

 No clássico mineiro do fim de semana, Atlético-MG e Cruzeiro empataram. Porém, o Galo pode receber uma punição pelo ocorrido no Mineirão. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) analisa a possibilidade de penalizar o clube mineiro pelos gritos homofóbicos em que parte da torcida cantou na partida. As informações são do portal "Uol".

Durante o intervalo do clássico válido pela 25ª rodada do Brasileiro, alguns torcedores provocaram os rivais com um grito homofóbico: "Cruzeirense, toma cuidado, o Bolsonaro vai matar veado". Não há um artigo do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que estabeleça punições por homofobia. No entanto, a própria Procuradoria-Geral avalia a possibilidade de enquadrar o fato em outro artigo.

Em caso de oferecimento de denúncia, o clube seria o alvo da Procuradoria-Geral do STJD. O fato se dá, porque os torcedores, mesmo identificados, não são jurisdicionados no órgão. Neste caso, é o Galo quem responde pela conduta de seus torcedores. O Atlético-MG se pronunciou contra os cânticos da torcida.

"O CAM (Clube Atlético Mineiro) lamenta profundamente as manifestações homofóbicas de parte dos torcedores, no jogo deste domingo, no Mineirão. Reiteramos nosso repúdio a quaisquer gestos de preconceito ou de incitação à violência. A maior torcida de Minas é composta por pessoas de todas as classes sociais, raças e gêneros, não cabendo qualquer tipo de discriminação. Isso não faz parte da nossa gloriosa história", escreveu o clube.