Foto: Letícia Martins/Guarani FC 1316750134foto

A sorte que vem caminhando com o CSA durante esta Série B, não deu as caras nesta 28ª rodada. Na noite deste sábado (22) o time marujo perdeu para o Guarani por 1 a 0 em Campinas, sofreu duas derrotas seguidas pela primeira vez na competição e está pressionado no G4.

A derrota deixa o CSA na 3ª colocação com 46 pontos, dois a frente do próprio Guarani que entrou no grupo dos quatro melhores. Na próxima rodada o Guarani terá pela frente o Vila Nova na sexta-feira em Goiânia, enquanto o CSA vai enfrentar o CRB, no “Clássico das Multidões” do próximo sábado.

O JOGO – 1º TEMPO

Bola rola em Campinas para um jogo que começou movimentado entre Guarani e CSA. Querendo se aproximar do G4, grupo onde está o CSA, o time da casa assustou primeiro com Bruno Mendes, que aproveitou cruzamento na área e cabeceou perto do gol de Felipe.

O goleiro azulino por sinal, deu sinais de que sentia dores na coxa esquerda, reclamou para o banco de reservas, mas continuou no jogo e viu o CSA responder com Daniel Costa e Jhon Cley, que arriscaram e assustaram o goleiro Agenor.

Cerca de 200 torcedores do CSA marcaram presença em Campinas (Foto: Letícia Martins/Guarani FC)

 

A partida mostrava o Guarani com mais volume de jogo, buscando mais o ataque, mas também deixando espaço para o CSA atacar. Numa dessas oportunidades o time marujo conseguiu uma falta na entrada da área e Pio foi para bola, exigindo grande defesa do goleiro adversário.

O jogo era aberto, mas o CSA cometeu um vacilo na defesa e foi penalizado. Aos 30 minutos, Kevin avançou pela direita, a defesa azulina não cortou e Bruno Mendes se jogou na bola, mandando para o fundo das redes. Guarani 1 a 0.

Nos minutos finais da etapa o CSA se lançou ao ataque e pressionou. Na jogada mais perigosa, bate-rebate e a boa sobrou para Leandro Souza, que de costas, cabeceou e mandou perto do gol “bugrino”. Final do primeiro tempo com vitória parcial da equipe da casa por 1 a 0.

2º - TEMPO

Na volta para o segundo tempo, o que se viu foi um Guarani cauteloso, que parecia administrar o resultado e um CSA que não se arriscava, estudava, avançava e recuava, buscando espaços para melhor atacar o time campineiro.

 O grande problema do CSA era a forma de subir ao ataque. Os laterais Celsinho e Rafinha não avançavam como de costume e o jogo ficava concentrado no meio. Daniel Costa, Didira e Jhon Cley não conseguiam criar e Rubens ficava isolado na frente.

A inoperância do CSA no ataque, convidou o Guarani a responder e avançar. Por duas vezes Matheus Oliveira deu trabalho. Na primeira marcou, mas estava em impedimento e na segunda, mandou na trave.

Foto: Letícia Martins/Guarani FC

 

O técnico Marcelo Cabo começou a mudar peças pelo ataque. Sem sucesso em campo, Rubens saiu para entrada de Alemão, que ainda não marcou pelo clube na Série B, mas seria uma alternativa na partida.

A partida entrava na sua reta final e seguia equilibrada. Melhor para o Coritiba que segurava o resultado, enquanto CSA seguia tentando nas poucas oportunidades que conseguia criar, como na bola na área que Didira mandou de primeira e mandou perto.

As substituições de ambos os lados deixavam o ritmo do jogo ainda mais lento.  O jogo seguiu até os 49 minutos e o placar não foi alterado. Guarani 1 a 0.