Fernando Dantas - Gazeta Press Befa2b62 35bf 4df9 9bd0 01f44440e99e

Jair Ventura tem o costume de não falar da arbitragem, nem mesmo quando um erro crasso prejudica sua equipe. O treinador manteve seu estilo nesse domingo, na entrevista coletiva após o empate do Corinthians por 1 a 1 com o Internacional, com direito a gol impedido de Leandro Damião. “Eu não falo de arbitragem”, reiterou o comandante corintiano, quando saia da sala de conferência, depois de um comentário sobre a ausência de perguntas sobre o fatídico lance para os alvinegros.

Polêmica e resultado à parte, Jair Ventura gostou do que viu. O Corinthians marcou seu gol, fez o goleiro Marcelo Lomba trabalhar mais do que Cássio e teve as melhores chances. Para o técnico, o time está encontrando seu caminho.

“Queremos sempre ganhar, principalmente como mandante, quando temos a obrigação de vencer. Não conseguimos, mas fizemos um jogo bom, controlado, com mais chances claras, com posse de bola. O Cássio não fez defesa, tivemos chance com um minuto e pouco, depois com Fagner, e acabamos sofrendo um gol no final do primeiro tempo, uma ducha (de água fria) para você ir para o intervalo”, avaliou, antes de completar.

Mas, mais uma vez o time não se desesperou, fez um jogo apoiado, teve controle do jogo, fizemos um gol no início e parecia que a virada aconteceria antes mesmo do que aconteceu contra o Sport, mas, não veio. Claro que vimos uma evolução da equipe, organizada, sofrendo menos, criando mais. De maneira gradativa a gente vai tentando conciliar”.

Outro ponto bastante elogiado por Jair Ventura é o fato dos jogadores alvinegros terem conseguido jogar sem pensar na partida de quarta-feira, contra o Flamengo, pela semifinal da Copa do Brasil.

“Não podemos esquecer contra quem nós jogamos, uma equipe muito forte. Minha maior preocupação era a parte mental. Trabalhei muito a parte psicológica, mas a gente sabe que tem o subconsciente. Ninguém se machucou também”, concluiu.