: Rafael Melo / Agência O Globo 23d5b920 f8ac 4294 88b6 6aef03cc50e3 Pikachu está sob cuidados especiais

A dor de cabeça no Vasco deixou de ser no sentido figurado, pela preocupação com o risco de rebaixamento no Brasileiro, para se tornar literal. Nos últimos dois meses, dois jogadores tiveram concussão cerebral. Depois do zagueiro Bruno Silva, no clássico com o Flamengo, o paciente da vez é Yago Pikachu. Ele passará a semana sob observação, cumprindo o protocolo da Fifa de recuperação, após a pancada na cabeça sofrida na derrota de sábado para o Sport. Sua presença contra o Internacional, sexta-feira, em São Januário, depende da evolução do quadro.

Substituído aos 18 minutos de jogo em Recife, Pikachu foi submetido a uma tomografia ainda na capital pernambucana. O médico vascaíno, Carlos Fontes, havia identificado os sintomas ainda no campo e, apesar da irritação do jogador, não permitiu que ele voltasse à partida.

— Ele sofreu um trauma na cabeça, apresentou fala com palavras desconexas e perda de consciência, mas recobrou rapidamente os sentidos — explicou Fontes.

Indignado, Pikachu arremessou uma garrafa no gramado quando ouviu do médico que não poderia continuar jogando. Depois, reconheceu que exagerou:

— Foi um lance muito rápido. Lembro que a bola foi alçada, e achei que estava sozinho. Não vi o adversário. Senti apenas a pancada na cabeça e caí no chão. O médico me falou que todo mundo ficou preocupado e pediu atendimento. Peço desculpas pelo comportamento explosivo, principalmente ao departamento médico do Vasco.