Foto: Maivan Fernandez Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O que é bom, a gente quer mais. Seguindo essa linha a organização do Circuito Ôxe de Triatlo, que realizou a sua primeira prova no mês de outubro, fez um balanço positivo do evento e já abriu inscrições para a nova prova que está marcada para o dia 22 de dezembro em Maceió.

A competição reuniu 333 atletas entre profissionais, amadores, jovens, idosos, paratletas e crianças de 6 Estados do país. Participaram atletas de Aracaju em Sergipe, Paulo Afonso na Bahia, João Pessoa na Paraíba, Natal no Rio Grande do Norte, Caruaru, Garanhuns e Recife em Pernambuco, Barretos e Santo André e capital em São Paulo, totalizando 110 atletas de fora, além dos representantes alagoanos.

A avaliação positiva pode ser feita antes, durante e depois da prova, tendo em vista o acréscimo no número de atletas nas assessorias esportivas, aquisição de equipamentos para o triatlo, suplementação e no período da prova, a ocupação hoteleira, a visitação nos restaurantes e no comércio local, incluindo os ambulantes que tiveram a oportunidade de faturar um “extra” no dia do evento.

Organizadores da prova, Luiz Horário e Laelson Lopes destacaram os pontos positivos e o que virá pela frente nas próximas provas do Circuito Ôxe de Triatlo.

“O evento foi positivo. Alcançamos o número de inscrições que foi planejado, a aceitação dos participantes foi grande, a rede social fala por si só, foram muitos elogios. Foi uma grande oportunidade de aprender, de corrigir erros. Foi a primeira prova, sabemos que podemos melhorar, mas foi muito positivo. Acredito que para o próximo ano, com o Campeonato Alagoano e Pernambucano, em parceria com a federação, será ainda melhor e a ideia é manter uma média de 500 atletas por etapa”, afirmou Horácio.

“Demos o pontapé inicial para um novo momento, uma nova era do triatlo em Alagoas. Sabíamos que não seria fácil, saí de atleta para organizador, mas eu e Luiz Horácio temos uma característica importante, que era o amor pelo esporte que transformou nossas vidas. Juntos com os atletas, a AETRI  a Fetrial, os órgãos públicos, enfim, toda comunidade esportiva unidas para esse momento. Tínhamos a responsabilidade de fazer uma prova linda à altura da nossa cidade, que a partir de agora será a capital nacional e quem sabe  mundial do triatlo. Não medimos esforços e mostramos que não viemos para brincar. Os atletas nos ajudaram muito fomos surpreendidos com 110 novos atletas que fizeram pela primeira vez e se juntaram a nossa comunidade de triatletas, costumo dizer que triatlo não é só um esporte é um estilo de vida”, completou Laelson.

Além da parte esportiva, o Circuito Ôxe de Triatlo também deixou a sua contribuição social. A organização convidou 24 atletas do projeto “O Consolador” para participar do evento, bem como distribuiu mais de 100kg de alimentos não perecíveis para a “Casa de Ranquines” e através da parceria com o grupo “Amor 21”, trouxe jovens com síndrome de down que fizeram parte da equipe de staff.

Diante do evento, a organização já abriu as inscrições para a segunda etapa, marcada para o dia 22 de dezembro. Para garantir presença na prova, os triatletas devem acessar o site www.oxetriatlo.com.