Ascom Semelj A46a0a52 7548 4e9e ab25 b464b8c644c9

A segunda edição da Copa Nordeste de Tiro com Arco encerrou as atividades de 2018 na Vila Olímpica Lauthenay Perdigão, localizada na Avenida Alice Carolina, no bairro da Cidade Universitária. Da manhã de sexta-feira (14) até a tarde de domingo (16), cerca de 60 arqueiros de todo o Nordeste participaram da competição.

Arqueiros dos estados de Sergipe, Bahia, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Maranhão, Ceará e Alagoas competiram nas modalidades infantil, cadete, juvenil, adulto e master, na categoria masculina e feminina.

Na sexta-feira (14), os arqueiros treinaram e regularam os arcos. Já no sábado (15) competiram pela fase classificatória. E no domingo (16), dez participantes receberam as premiações de primeiro e segundo colocado.

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (Semelj), Daniel Mello, a Copa Nordeste de Tiro com Arco coroou as atividades deste ano na parte alta da cidade. “Encerramos as atividades aqui na Vila Olímpica com essa grande competição, que reuniu arqueiros de todo o Nordeste. Isso é muito bom para Maceió que recebeu mais uma modalidade esportiva, que inclusive vem crescendo por ser uma das competições dos Jogos Olímpicos”, destacou Mello.

A Vila Olímpica recebeu mais de 80 pessoas, entre elas estava o coordenador-geral da Confederação Brasileira de Tiro com Arco, Eros Fauni, que avaliou de forma positiva os atletas nordestinos. “Há alguns anos o Nordeste era praticamente desconhecido no Arco Flecha e agora tem gente que está perto ou já entrou na Seleção Brasileira, isso significa que houve um avanço”, revelou.

O presidente da Federação Alagoana de Tiro com Arco (Fata), César Moreira, falou sobre a segunda edição da copa, realizada pela primeira vez na capital alagoana. “Essa Copa é um exemplo a ser seguido pelo Brasil. Tivemos participantes que já foram campeões internacionalmente pela modalidade e as expectativas que eu tinha foram superadas”, comentou César, que ressaltou ainda o trabalho da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude. “Ter recebido o apoio da Semelj foi imprescindível na realização do torneio, sou muito grato ao poder público municipal”, acrescentou.

O arqueiro alagoano, João Pedro, disputou pela categoria máster composto, com distância de 50 metros entre o arqueiro e o alvo de 40 centímetros de circunferência. Ele falou da importância de participar da competição. “Foi maravilhoso porque é um torneio que nos projeta a nível nacional por meio do ranking, então, mesmo sendo uma Copa Nordeste, é muito importante conquistar boas pontuações”, frisou o atleta, que ocupa o 12º lugar do ranking nacional.

João Augusto, de 13 anos, veio da Paraíba para participar do torneio. Ele falou como pegou o gosto pela modalidade olímpica. “Eu venho praticando isso há um bom tempo. Comecei a gostar de arco flecha através das olimpíadas de 2016, foi quando realmente eu comecei a praticar”, relatou o filho de Odebis Costa, que está sempre acompanhando o garoto nas competições. “A gente o matriculou na escolinha de tiro com arco e isso melhorou bastante a concentração dele no colégio”, revelou o pai.