Alan Fagner D0b1f6ef dea6 423e a3a6 6bd0d051422c

O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBMAL) lançou, na manhã desta terça-feira (18), em solenidade no Palácio da República dos Palmares, a Operação Verão 2018/2019. Nesta temporada, os 40 guarda-vidas contarão com o auxílio de 65 surfistas que receberam orientações técnicas para realização de salvamento aquático por meio do Projeto Surf-salva.

Na alta temporada, os guarda-vidas farão rondas com viaturas todos os dias, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h, em pontos estratégicos do litoral e com maior fluxo de banhistas. O Grupamento de Operações Aéreas também integra a operação, fazendo o patrulhamento aéreo, com dois militares, das 10h às 14h.

Já os surfistas capacitados darão suporte à prevenção. Serão quatro deles por dia, sendo dois pela manhã e dois à tarde, distribuídos nas praias do Francês, Pontal da Barra, Sobral, Cruz das Almas e Jacarecica.

“O projeto Surf-salva é um apoio à prevenção. Eles foram treinados pelo Corpo de Bombeiros, estarão nas regiões deles, de forma organizada, ajudando nesse papel da prevenção. O salvamento em si é feito pelo Corpo de Bombeiros, mas a gente treinou os surfistas para esse apoio. Costumamos falar que eles são nossos olhos, estarão lá se divertindo e ajudando a salvar vidas também”, disse o coronel Carlos Buriti, comandante do Grupamento de Salvamento Aquático (GSA).

O projeto Surf-salva é desenvolvido em vários estados com o apoio da Sobrasa (Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático) e em Alagoas também conta com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). Por meio do projeto, os guarda-vidas ensinam técnicas e manobras que ajudam a salvar vidas.

Ao todo, 2.015 surfistas já foram capacitados pelo projeto. A ideia agora é qualificar cerca de 300 surfistas por ano a partir de 2019. Luciano Rodrigues, 31 anos, surfa desde os 12 anos e participa do projeto desde a sua primeira edição.

“Eu acho muito interessante essa iniciativa dos Bombeiros. Eu já participei de cinco edições e toda vez que tem eu vou para fazer a reciclagem. Quanto mais pessoas agregando, melhor, assim os afogamentos podem ir diminuindo”, disse o surfista.