Minuto Esporte Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Poderia ser pior, mas o CSA iniciou a sua trajetória na Copa do Nordeste com um empate diante do Vitória. Na noite desta terça-feira (15) o time azulino sofreu contra a equipe Sub-23 baiana e empatou em 1 a 1.

O Jogo - 1° Tempo

Quem imaginou que o time mais experiente do CSA iria dominar os jovens Sub-23 se enganou. O time azulino ainda busca o entrosamento e encontrou um adversário organizado, que nos primeiros 20 minutos manteve a posse de bola e buscou mais o ataque.

O camisa 10 Luan Silva conduzia o time, principalmente pelo lado direito, dando muito trabalho ao lateral Celsinho, que não tinha uma noite que lembrava as atuações do ano passado.

O Vitória era melhor, mas não traduziu em muitas chances. Mesmo assim, obrigou o goleiro João Carlos a trabalhar na primeira etapa.

O CSA por sua vez, passou a sair mais para o jogo na metade da etapa. Porém, pecava na troca de passes. Dawhan, Amaral, Didira e Matheus Sávio não estavam entrosados e quem sofria era o atacante Patrick Fabiano, pouco acionado.

Mesmo assim, a única chance de perigo do CSA foi com o camisa 99. Após cruzamento de Matheus, o centroavante testou e mandou perto do gol defendido por Caique.

Primeiro tempo encerrado com placar de 0 a 0 e pouco do CSA foi mostrado em campo.

2° - Tempo

Na volta para o segundo tempo, as equipes pareciam mais dispostas a atacar, principalmente o CSA, time dono da casa.

Logo aos 4 minutos, bola na área, Régis escorou e Patrick Fabiano desviou, mandando na trave. Não demoraria para a torcida azulina acordar no jogo.

Aos 9 minutos, Matheus Sávio acertou um chutaço de fora da área, a bola explode no travessão e volta, nos pés de Patrick, que empurrou para o gol vazio. 1 a 0.

Depois do gol o CSA claramente recuou. Assim, o Vitória seguiu buscando o ataque, como na primeira etapa e precisou da intervenção do goleiro João Carlos, que proíbe Luan Silva e Nickson.

A insistência do time baiano deu resultado. Aos 31 minutos, Mateus cruzou e a bola bateu na mão do zagueiro Rony. Pênalti marcado, Nickson na cobrança, batendo colocado e deslocando o goleiro João Carlos.

O empate mostrou que as duas equipes estavam cansadas em campo. O Vitória era mais ativo, ainda se lançava ao ataque, e quando o CSA buscava os contra-golpes, sem eficiência.

Os treinadores Marcelo Cabo do CSA e João Burse mudaram peças, mas o placar se manteve em 1 a 1.