Fernanda Dias/Agencia O Dia 96b95106 bcec 4706 8805 1768dbbc440b

Ao longo dos últimos anos, José Aldo, de 32 anos, começou a dar sinais de que seus dias dentro do octógono estavam contados. Restando apenas três lutas no contrato com o UFC, o manauara parece estar cada vez mais entusiasmado para pendurar as luvas. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, da qual o Meia Hora participou, o atleta da Nova União deixou claro que pretende somente cumprir as lutas que faltam, mas engana-se quem pensa que ele esteja pensando em recuperar o cinturão para finalizar a carreira como campeão.

"Não quero dar meu dinheiro para comprar minha saúde de volta. Porque hoje eu estou dando a minha saúde para pegar o dinheiro. Mas eu não quero fazer isso. Quero estar bem de saúde para aproveitar o crescimento da minha filha (de 6 anos), aproveitar minha família, esposa, viajar, sorrir um pouco, brincar. Por isso, não passa pela minha cabeça disputar o título da categoria nesse momento", afirmou Aldo, que no dia 2 de fevereiro enfrentará, em Fortaleza, pela primeira vez um brasileiro no UFC: o brasiliense Renato Moicano. 

ma opção do André Pederneira, seu empresário e técnico:

"Eu ia lutar com o Cub Swanson, estava fechado com ele, mas ele se machucou. Depois disso, o UFC ofereceu o Moicano. Não vejo problema nenhum, nunca falei que não lutaria com ele ou com qualquer outro atleta. Independentemente de qualquer coisa, defendo minha bandeira. Se não for da minha equipe, luto com qualquer um".

O Campeão do Povo ainda tem pela frente três lutas na organização e pretende fazê-las este ano, no Brasil. Segundo Pederneiras, o principal motivo para o duelo ter três rounds é a preservação da integridade física de Aldo.

"Não foi por causa do adversário, mas pela carga de treinamento. Se o Dana disser que a próxima luta vai valer título, o Aldo vai lutar cinco, dez ou 12 rounds. Mas não é o caso agora", explicou o técnico.

Expectativa de casa cheia

Apesar de o seu oponente estar vivendo uma grande fase no UFC — com apenas uma derrota e um empate em 13 lutas —, Aldo não se intimida e garante que está mais preparado do que nunca:

"Posso adiantar que estou muito bem fisicamente e tecnicamente. Nem quando tinha 15 anos eu estava assim dessa maneira. Estou bem feliz e quero fazer uma ótima luta para os brasileiros, principalmente em Fortaleza que eu sei que vão lotar a arena. Vou atrapalhar todo mundo que entrar na minha frente".