Severino Silva/Agência O Dia/Estadão Conteúdo F9e0e60f 43c1 4758 9056 c42298a6cbd8

O governo federal também vai atuar na fiscalização das condições de infraestrutura de centros de treinamento em todo o País. Por determinação do ministro da Cidadania, Osmar Terra, o secretário especial do Esporte, Marco Aurélio Vieira, vai coordenar um levantamento nacional sobre os locais. A ideia é fazer um estudo abrangente para verificar a situação dos espaços não apenas de clubes de futebol, mas também de agremiações de basquete, vôlei, natação, ginástica, atletismo e outros esportes.

As ações estão em andamento e a Secretaria Especial de Esportes ainda está finalizando a estratégia a ser adotada pelos órgãos. Uma das ideias de Vieira é atuar em conjunto com a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

O governo estuda, por exemplo, a possibilidade de as pastas elaborarem em conjunto um caderno técnico com orientações e regras que deverão ser seguidas pelos clubes. Essas normas definirão, entre outros itens, condições de trabalho e alojamento em que jovens das categorias de base devem ser mantidos nas dependências dos clubes.

Também devem ser incluídos no caderno técnico do governo federal alertas e procedimentos cujo objetivo é prevenir casos de assédio moral e sexual, trabalho análogo à escravidão e discriminação racial.

PROBLEMAS NO RIO - Os centros de treinamento do Fluminense apresentam irregularidades tanto no espaço da base, em Xerém, Duque de Caxias, quanto no dos profissionais, na zona oeste do Rio de Janeiro. No primeiro caso, o clube está em dia com os Bombeiros, mas não possui o Habite-se fornecido pela prefeitura.

"Estamos fazendo todas as obras, estamos atrás de todos os documentos. É um processo que esperamos que se resolva o mais rápido possível", diz o gerente-geral do Fluminense, Fernando Simone.

No local de treino dos profissionais, o clube não conta com o Certificado de Aprovação emitido pelo Corpo de Bombeiros (CBMERJ). A corporação informa, contudo, que o Fluminense já iniciou o processo de regularização. "O local possui o Laudo de Exigências, que é o primeiro documento emitido no processo", explica o CBMERJ. O clube também foi multado pela Prefeitura do Rio por falta de alvará.

O Vasco também já foi autuado pela prefeitura. Além da falta de alvará, técnicos do município vistoriaram o CT do clube, na zona oeste, e constaram obras que não estavam licenciadas. Procurado pela reportagem do Estado, o clube não se posicionou.

Por sua vez, o Botafogo teve o alojamento das categorias de base no Estádio Caio Martins, em Niterói, interditado pela Polícia Civil devido a rachaduras na parede e fiação elétrica exposta. O clube alega que as instalações são utilizadas apenas "pontualmente", e que o alojamento de General Severiano, na zona sul do Rio, "apresenta toda a estrutura e documentação necessária para o seu funcionamento". A direção informou ainda que "está envidando todos os esforços para atualizar a documentação" em Niterói.