Ivan Storti/Santos) 2c7af2d9 e2f8 4af0 84ce 980db8c91d4a

O presidente do Santos José Carlos Peres, convocou entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira para anunciar o pagamento dos salários dos jogadores referentes ao mês de fevereiro, que estavam em atraso e haviam causado desconforto nos últimos dias, inclusive com declarações do próprio técnico Jorge Sampaoli. O mandatário santista aproveitou também para explicar o porquê da situação ter chegado a este ponto, algo inédito em sua gestão.

- Nós estamos nessa gestão desde janeiro do ano passado, nunca atrasamos salários. O Santos é um clube que tem um crédito de R$ 100 milhões, isso é importante que todo mundo saiba, não estamos quebrados. Foi um problema apenas de fluxo de caixa e dizer para vocês que foram saldados os salários dos jogadores hoje, nós cumprimos aquilo que tínhamos prometido - declarou.

Por conta do crédito junto ao Real Madrid pela venda do atacante Rodrygo, o Peixe tentou antecipar essa receita por meio de uma empresa que, segundo Peres, por coincidência, foi a mesma que fez contrato com o argentino Emiliano Sala, morto em acidente de avião que caiu no Canal do Mancha. Devido aos altos valores envolvidos na questão do jogador, o grupo de investimento não cumpriu o que havia acordado com o clube da Baixada.

- A gente tinha uma antecipação do crédito do Real Madrid no valor próximo de R$ 90 milhões e isso acabou não ocorrendo. Havia um grupo de investimento, ficamos em negociação durante um mês, cumprindo todas as exigências, e cinco dias antes da folha de pagamento, eles nos avisaram que o crédito seria no dia do pagamento e nós acreditamos. Infelizmente era um grupo que tinha feito um seguro do jogador Emiliano Sala, tinha um cláusula contratual que esse grupo estava segurando, tiveram um prejuízo muito grande. Aí o grupo recuou, porque eles tiveram um desembolso grande com o esporte, e eles acharam que a partir daquele momento eles não deveriam mais trabalhar com futebol, por esse motivo eles acabaram nos dando uma dor de cabeça. A gente confiou bastante nesse crédito e ele acabou não acontecendo por uma questão totalmente por parte do grupo de investimento - argumentou.

Peres também disse que o Santos costuma ter sempre um plano B para esse tipo de situação, porém a confiança no grupo de investidores foi tamanha que não havia alternativa, o que acabou levando ao atraso salarial. O presidente, inclusive, explicou o fato de ter pago funcionários e comissão técnica antes dos jogadores do elenco.

- A gente sempre trabalha com uma projeção que se não der certo, a gente tem uma outra saída. Infelizmente nesse caso nós confiamos tanto na transação que acabamos passando por apuros, mas resolvemos, hoje a gente fez todo o crédito. Foi pago todo o setor administrativo no dia do pagamento, nós tínhamos um fundo para isso, e depois, até por uma questão administrativa, nosso pessoal acabou pagando apenas a parte da comissão técnica, o que gerou um desconforto.

Por fim, o mandatário lamentou que os atrasos salarias sejam cada vez mais comuns no futebol brasileiro, e pediu desculpas para o elenco por conta da dívida criada neste mês. Segundo ele, algo que não deve mais ocorrer.

- Está tudo equacionado, bola para frente, vamos olhar para frente, o clube está aí, venceu a partida, temos uma partida importante amanhã também, mas a boa notícia para vocês hoje é de que o clube saldou o débito que tinha com os jogadores. Lamentamos o atraso pedimos desculpas aos atletas, mas no futebol brasileiro, não querendo justificar, há clubes grandes com atraso de até 90 dias. Nós atrasamos 20 dias e infelizmente deu todo esse transtorno e parece que o Santos é único que não pode atrasar, infelizmente quem está no mercado hoje sabe as dificuldades que tem sido. Por isso que a gente pede sempre o empenho dos atletas, até porque existe um time que está lá dentro do campo, e um time que está fora do campo, que é a gente. Então a dificuldade é para todos, aconteceu, é o primeiro atraso nosso, e eu espero que não ocorra mais - concluiu.