Maxi Failla Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Na última segunda-feira, a Venezuela passou por uma situação constrangedora. Após não receber o material esportivo da empresa Givova, a Vinotinto precisou utilizar uniformes improvisados para encarar a Catalunha, em Girona.

Apesar de toda a revolta dos jogadores, principalmente do meio-campo Tomás Rincón, a Federação Venezuelana de Futebol não mostrou incômodo com o fato e renovou o contrato com a fornecedora de material esportivo por mais quatro anos.

Agora, a entidade máxima do futebol venezuelano e Givova irão se encontrar em 15 dias para definir os próximos passos da parceria e a quantidade de material esportivo que será fornecido.

A expectativa é que no fim de abril chegue o primeiro lote e mais de 300 uniformes sejam entregues para uso do time profissional e base.