2fa84cbf 2535 4f7c 91e9 01edb6e6a049

O chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, disse que a Ferrari estabeleceu um precedente perigoso ao utilizar as ordens de equipe tão cedo na temporada. Charles Leclerc recebeu ordens para deixar Sebastian Vettel passar no Grande Prêmio da China, embora a decisão tenha servido apenas para prejudicar Leclerec.

Leclerc abriu passagem para seu companheiro de equipe, mas Vettel falhou em alcançar os carros da Mercedes.

Lewis Hamilton liderou a terceira dobradinha da Mercedes neste ano, com Vettel no pódio, e Leclerc perdendo mais uma posição para Max Verstappen, quando sua estratégia de pitstop não funcionou direito.

A Mercedes usou ordens de equipe no final de 2018, quando Hamilton estava lutando contra Vettel pelo título, enquanto Valtteri Bottas havia saído da disputa, mas Wolff disse que fazer isso neste momento pode causar dores de cabeça na Ferrari.

“É uma situação complicada, é claro, porque você gostaria de ter o carro mais rápido caçando seus oponentes”, disse Wolff.

“Sebastian disse que ele tinha o carro mais rápido naquele estágio, então eles reverteram a ordem. Eu posso entender isso de alguma forma”.

“No entanto, uma vez que você começa a fazer essas coisas, torna-se muito complicado, porque você começa a estabelecer um precedente, e então você pode ter em todas as corridas, o carro que está atrás dizendo: “Eu posso ir mais rápido”.

“Não é uma situação fácil. Tivemos isso com Nico e Lewis, e também com Valtteri e Lewis novamente”, disse Wolff.

“Tivemos uma situação hoje em que eles estavam se pressionando muito, assumindo o risco de potencialmente não terminar a corrida”.

“Então não é um problema da Ferrari sozinho. Todo time tem esse problema se você tem dois pilotos alfa”, completou Wolff.