Eddie Keogh/Reuters Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Gols, títulos e prêmios individuais marcaram a carreira de Ronaldo. Porém, a briga com a balança também foi constante durante os anos profissionais do Fenômeno, que revelou somente em sua despedida do futebol que lutava contra o hipotireoidismo.

O pentacampeão mundial falou sobre a sua relação com o peso em entrevista ao Financial Times. "Vejo muitos ativistas para muitas coisas. Se você é negro, se você é gay... Mas as pessoas chamam Ronaldo de gordo? Nunca vi ninguém me defendendo", declarou sorrindo. "Eu não ligo", completou.

Durante o papo, o Fenômeno relembrou as finais da Copa do Mundo de 1998 e de 2002. Na França, o ex-atacante sofreu uma convulsão antes da final contra os donos da casa. O episódio deu margem a muitas especulações. "Acho que as pessoas gostam de [teorias de] conspiração. É tanta besteira", disse.

"Não foi meu melhor jogo. Mas eu lutei. Eu corri. Eu estava preparado para jogar... Alguns dias você não está bem e alguns dias você está ótimo. É difícil explicar isso. Você vê o Messi jogando com o Barcelona, e ele jogando com a seleção nacional. É completamente diferente. Não é fácil jogar com a seleção nacional em grandes campeonatos. Todos os melhores jogadores do mundo estão lá, por isso não é fácil ganhar uma Copa do Mundo, principalmente quando você joga contra a França em Paris. Todo o estádio estava de azul", relembrou.

Após quatro anos, Ronaldo teve a chance de disputar novamente uma decisão de Copa do Mundo. No entanto, as lembranças de Paris atormentavam o camisa 9 antes da decisão no Japão. "Na final em Yokohama, a partida estava marcada para as 20h, o mesmo horário que foi em Paris. Depois do almoço, todos foram dormir e eu pensei, 'não quero dormir, foda-se'. Saí procurando alguém para conversar e encontrei o Dida [goleiro reserva da seleção], que estava com muito sono. Eu disse, 'não, por favor, fica comigo'... Eu não dormi naquele dia, com medo de que alguma coisa pudesse acontecer novamente... Dida ficou comigo o tempo todo".

Durante a campanha presidencial de 2014, Ronaldo declarou apoio a Áecio Neves (PSDB). Porém, nos anos seguintes, o nome do tucano também apareceu envolvido em escândalos de corrupção. Por isso, o Fenômeno diz que não quer mais proximidade com a política.

"Prometi a mim mesmo não me envolver mais em política e não apoiar ninguém. Só espero, para mim e para o meu povo, que possamos melhorar como país. Chega de corrupção. Chega de fome", declarou.

Vida Pessoal

Pai de quatro filhos, Ronaldo Fenômeno revelou que fez vasectomia. Porém, ele pode aumentar a família em breve, já que Celina Locks, namorada do ex-jogador há quatros anos, tem o desejo de ser mães. "Congelei esperma suficiente para ter uma equipe de futebol se a minha mulher quiser", revelou aos risos.