Emmanuel Foudrot/Reuters Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Brasil estreou na Copa do Mundo feminina carregando o fardo de nove derrotas consecutivas na preparação e sem Marta. Mas isso foi deixado para trás. Principalmente por conta dos talentos individuais e do enorme talento de Cristiane, a Seleção Brasileira venceu a Jamaica por 3 a 0 no Stade des Alpes, em Grenoble, na França. Andressa Alves, com duas assistências, também se destacou.

Na próxima rodada, as brasileiras encaram a difícil Austrália. Com uma rivalidade recente, as australianas chegam com a necessidade de vitória nesta partida após a derrota para a Itália na estreia. A partida será na próxima quinta-feira, às 13h (de Brasília).

ABAFA INICIAL

A Seleção adotou a pressão desde os primeiros minutos da partida e deixou a Jamaica encurralada na defesa. Apesar das boas articulações, as brasileiras se mostraram nervosas na hora da finalização e demoraram a se encaixar. Debinha foi a que mais desperdiçou chances.

A insistência deu resultado. Ditando o ritmo no meio-campo sem a presença de Marta, Andressa Alves foi a autora da assistência para abrir o placar. Aos 15 minutos, a camisa 7 deu belo cruzamento na cabeça de Cristiane, que com ótimo posicionamento marcou para o Brasil.

NERVOSISMO E ERROS

O Brasil pecou na hora de definir e deixou explícita a ansiedade nas finalizações. Com uma ótima atuação da goleira jamaicana Sydney Schneider, as brasileiras tiveram dificuldades para acertar o último passe, com erros de Debinha e Cristiane. A melhor chance de ampliar foi em um pênalti aos 36 minutos, mas Andressa Alves bateu mal.

CRISTIANE DECIDE

O Brasil voltou do intervalo com uma postura mais recuada e isso se intensificou após o segundo gol de Cristiane na partida. Logo aos quatro minutos, Formiga escorou no meio e a sobra caiu nos pés de Debinha. A camisa 9 abriu para Andressa Alves, que foi à linha de fundo e cruzou. A bola passou por duas jogadoras e sobrou para a camisa 11, livre, escorar para o gol. De falta, a atacante ainda deixou o terceiro antes de ser substituída.

Com o jogo mais tranquilo, a Seleção Brasileira adotou mais cautela, mas viu a Jamaica chegar com perigo pelos espaços defensivos. Com boas defesas de Bárbara e erros na pontaria das adversárias, o time de Vadão tomou sustos durante o segundo tempo, mas conseguiu segurar o resultado.

PODIA TER MAIS

Foi uma partida confortável do Brasil no geral. A equipe, inclusive, poderia ter aproveitado para aumentar o saldo de gols, que pode ser importante no futuro. Se não fosse a goleira Schneider e os erros de finalização, a vantagem poderia ser maior.

RECORDES

A partida de estreia da Seleção Brasileira marcou dois recordes importantes. Incansável, a meio-campista Formiga se tornou a primeira jogadora entre homens e mulheres na história a disputar sete Copas do Mundo. Além disso, aos 41 anos, ela é a mais velha a entrar em campo no Mundial feminino.

Já Cristiane, com os gols, se tornou a segunda maior goleadora brasileira em mundiais com 10 gols, ultrapassando Sissi, com sete. Marta tem 15 e pode se tornar a artilheira das Copas entre homens e mulheres se marcar nos próximos jogos. O alemão Klose tem 16.

FICHA TÉCNICA:
BRASIL 3X0 JAMAICA

Data/Hora: 09/06/2019, às 10h30
Local: Stade des Alpes, Grenoble (FRA)
Árbitra: Riem Hussein (ALE)
Auxiliares: Kylie Cockburn (ESC) e Mihaela Tepusa (ROM)
VAR: Bastian Dankert (ALE)
Público: 17.668 presentes

Cartões amarelos: Formiga, Daiane (BRA), Plummer (JAM)
Cartões vermelhos: -
Gols: Cristiane (15'/1ºT, 4'/2ºT e 18'/2ºT)

BRASIL (Técnico: Vadão)
Bárbara; Letícia Santos, Kathellen (Daiane - 30'/2ºT), Mônica e Tamires; Formiga e Thaísa; Andressa Alves, Cristiane (Ludmilla - 19'/2ºT), Bia Zaneratto (Geyse - 19'/2ºT) e Debinha.

JAMAICA (Técnico: Hue Menzies)
Schneider; Bond-Flasza, Swaby, Plummer, Blackwood; Matthews (Brown - 17'/2ºT), Solaun (Asher - 23/2ºT), Chantelle Swaby; Sweatman, Carter (Cameron - 34'/2ºT) e Shaw